03 de Junho, 2019 - 14:50 ( Brasília )

Terrestre

Infantaria - 209 anos de Sampaio

Um exército é uma coleção de sacrifícios e superações individuais que quando reunidos, têm pela nobreza de seu mister, uma dimensão maior do existir. No distante e seco berço de seu patrono


por Vianney Gonçalves Júnior
jr.vianney@gmail.com

 
O sentimento de brasilidade mais aflorado tem sido percebido nos dias de hoje em diversas manifestações públicas. Não à toa, os ventos novos que parecem inflar as velas da nação em direção a novos rumos tem contribuído para um sentimento de orgulho e patriotismo, como aquele estampado nos rostos da assistência que disputava espaço nas comemorações de aniversário de um herói nacional.

No sertão do Ceará, na Fazenda Vitor, distante 32 quilômetros de Tamboril, o Exército Brasileiro deu início em 22 de maio de 2019 às comemorações de 209 anos de nascimento de Antônio de Sampaio. Filho de um ferreiro, Antônio Ferreira de Sampaio, e de D. Antônia Xavier de Araújo, o garoto que viria a se tornar o Patrono da Arma de Infantaria, nasceu em 24 de maio de 1810.


 


Criado na vida simples e dura do semiárido nordestino, Sampaio sentiu na pele a discriminação por sua condição social humilde, proibido de relacionar-se com uma moça de família rica, e jurado de morte por conta da ousadia sentimental, foi buscar no Exército um ambiente onde os homens fossem medidos por suas virtudes, e não a partir de suas origens.

Em 1830, aos vinte anos, deu início à sua trajetória militar como praça da mais baixa posição hierárquica, participando de sua primeira guerra já em 1832, nas ruas da cidade de Icó, no Ceará. Posteriormente, participou também da Guerra dos Farrapos, no Rio Grande do Sul, da Cabanagem, no Pará, da Balaiada, no Maranhão e da Guerra de Praieira, em Pernambuco, tendo sido vitorioso em todas elas, sendo promovido sempre por merecimento.

Em 1849, já como capitão, Sampaio casou-se com Júlia dos Santos; união da qual nasceram quatro filhos.

Sampaio perseverou em sua carreira militar até que, em 1861, foi promovido a Coronel, indo combater na Campanha do Uruguai. Após essa guerra, devido a sua conduta exemplar, foi promovido a Brigadeiro, posto equivalente ao de General-de-Brigada na atual estrutura hierárquica do Exército Brasileiro.

Durante a Batalha de Tuiuti, durante a Guerra da Tríplice Aliança, maior conflito já ocorrido na América do Sul, o Brigadeiro Sampaio à frente da 3ª Divisão de Infantaria, a Divisão Encouraçada, foi ferido repetidas vezes, coincidentemente no dia 24 de maio, seu aniversário, em 1866, vindo a falecer dias depois.
As comemorações

A quebra da rotina árdua da vida no sertão, nesse 22 de maio, fez com que a humilde comunidade do entorno da Fazenda Vitor vestisse suas melhores roupas para assistir a vibrante cerimônia militar. Alunos da escola pública também se integraram à formatura marcial para render homenagens ao ilustre conterrâneo.

Na cidade, em Tamboril, uma multidão disputava o melhor espaço para acompanhar o desfile do Tiro de Guerra da cidade, e de tropas vindas do 40º Batalhão de Infantaria e do 25º Batalhão de Caçadores.

Em Fortaleza, no Panteão do Brigadeiro Antônio de Sampaio, no Quartel do Comando da 10ª Região Militar, a primeira cerimônia abriu o 24 de maio, e no final da manhã a formatura presidida pelo mais antigo infante da ativa, General de Exército Carlos Alberto Neiva Barcellos, Comandante Logístico, culminou a Festa Nacional da Arma, no 23º Batalhão de Caçadores, o Batalhão Marechal Castello Branco, que tem a frente o Coronel de Infantaria Antônio Airton Rocha Pontes.

A formatura militar contou ainda com as presenças de membros do Alto Comando “de ontem e hoje”, General de Exército Domingos Miguel Antonio Gazzineo; o chefe do Departamento-Geral do Pessoal, General de Exército Artur Costa Moura; o Comandante Militar do Norte, General de Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira; o Comandante Militar do Nordeste, General de Exército Marco Antônio Freire Gomes; e o Comandante da 10ª RM, General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos.



Comandante da 10ª RM, General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos

Formaram junto à tropa, cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, alunos da Escola de Sargentos das Armas, e uma companhia de Infantaria da Aeronáutica, da Base Aérea de Fortaleza.

A formatura contou ainda com a exibição de um Veículo Blindado de Transporte de Pessoal (VBTP-MR) Guarani. Foi a primeira vez que o equipamento de 18 toneladas, com tração 6X6, e capacidade para transporte de até 11 militares, considerado o mais moderno do País, veio a um Estado da Região Nordeste.

Ao levar a Festa Nacional da Infantaria para o Nordeste, para o Ceará, em Fortaleza, em Tamboril, e na Fazenda Vitor, o Exército Brasileiro reafirma o espírito democrático da própria instituição. Demonstra lembrar que os grandes exemplos, os grandes nomes, os grandes líderes, emergem igualmente de todos os cantos deste imenso Brasil, e têm seu valor reverenciado por uma Força que oportuniza a todos, de igual maneira, a missão ímpar de servir á Pátria.


Descanso nobre

Por seu exemplo de insigne líder e soldado de infantaria de grandes virtudes, o Brigadeiro Sampaio foi escolhido, em 1962, como Patrono da Arma de Infantaria, sendo declarada por decreto presidencial, a data de seu nascimento, 24 de maio, a data maior da Arma. Sampaio é Herói do Brasil, tendo seu nome assentado no Livro dos Heróis da Pátria.

Hoje seus restos mortais repousam em um mausoléu erguido no Quartel General da 10ª Região Militar em Fortaleza, no Ceará.


 



ÚLTIMAS

Terrestre

MAIS LIDAS