COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Aviação

14 de Julho, 2022 - 14:40 ( Brasília )

Satélite desenvolvido no ITA é enviado à NASA

O SPORT foi idealizado com a missão de monitorar a ionosfera (camada superior da atmosfera), coletando dados para o estudo dos efeitos das tempestades solares

Agência Força Aérea, ITA


O satélite SPORT (Scintilation Prediction Observations Research Task), desenvolvido pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), pela NASA, pelo Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (INPE) e por universidades americanas, foi aprovado pela NASA e pela Agência Espacial Brasileira (AEB) na revisão de pré-embarque. O procedimento foi realizado no dia 01/07, no Laboratório de Integração (LIT) do INPE.

O cumprimento da etapa foi necessário para a liberação e o envio a Houston (Texas), realizado no dia 04/07, onde aguardará o embarque para a Base de Walloups (Virgínia) e o lançamento com destino à Estação Espacial Internacional (ISS - International Space Station). Da ISS, o satélite será lançado para sua posição de observação no espaço.

O satélite, desenvolvido pela Organização Militar da Força Aérea Brasileira (FAB), é um CubeSat 6U para pesquisas científicas na ionosfera. Isso quer dizer que são satélites miniaturizados (nanossatélites) formados por unidades de cubos com 10 cm de lado, sendo cada unidade com o valor de 1U (do inglês Rack Unit, equivalendo a 1,75 polegada ou 44,45 mm).

Alguns destes nanossatélites, como o SPORT, estão na vanguarda do conhecimento, sendo capazes de realizar certas funções que grandes satélites realizam, porém a um custo bem mais baixo, o que os torna bastante atrativos para a aplicação em pesquisa espacial.

O Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros, e o Reitor do ITA, Professor Doutor Anderson Ribeiro Correia, estiveram presentes no LIT para observarem a preparação para embarque do nanossatélite brasileiro. Acompanhados pelo Gerente do Projeto, Professor Doutor Luís Loures, foram recebidos pelo Diretor do INPE, Clezio Marcos de Nardin e pelo Coordenador-Geral de Engenharia, Tecnologia e Ciência Espaciais, Geilson Loureiro.

O Reitor do ITA, Professor Anderson, afirmou que é uma etapa importante de um trabalho de desenvolvimento tecnológico de alta complexidade e que a expectativa agora será a colocação do satélite em órbita.

“Após quatro anos de trabalho árduo, chegamos a uma etapa importante, que é o envio do nosso satélite para os Estados Unidos, de onde ele será lançado para o espaço. Esse trabalho propiciou um grande desenvolvimento para a Engenharia Espacial do ITA e essa conquista nos deixa muito felizes e certos de que estamos cumprindo nosso papel de qualificar profissionais para atuarem na indústria aeroespacial brasileira. Agora é aguardar o lançamento e esperar por um perfeito funcionamento do SPORT”, afirmou.

Missão do nanossatélite

O SPORT tem a missão de monitorar a ionosfera (camada superior da atmosfera), coletando dados para o estudo dos efeitos das tempestades solares, que ocasionam perturbações em atividades da sociedade atual, tais como a interrupção do sinal GPS, o black-out de comunicações, interrupção na transmissão de energia e muitos outros.

O Diretor-Geral do DCTA, Tenente-Brigadeiro do Ar Medeiros, falou sobre o projeto. “O SPORT é resultado do trabalho integrado dos alunos do Centro Espacial ITA junto aos técnicos do INPE e a pesquisadores da NASA e de universidades norte-americanas em coordenação com o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial.

Essa sinergia é fundamental para quem quer estar na fronteira do conhecimento. Como resultado ganha o Brasil, ganha o nosso Programa Espacial”, concluiu.

Fotos: Sargento Roberto


VEJA MAIS