COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Aviação

14 de Março, 2022 - 09:00 ( Brasília )

Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI) inicia atividades operacionais

A Operação Natal XLII tem como objetivo lançar, rastrear, registrar e tratar os dados de voo, a partir das instalações do CLBI, de cinco foguetes de treinamento SBAT-70

Major Oliveira Lima

O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), Unidade subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), realizou em Parnamirim (RN), no período de 21 a 25/02 a Operação Natal XLII, que tem como objetivo principal lançar, rastrear, registrar e tratar os dados de voo, a partir das instalações do CLBI, de cinco foguetes de treinamento SBAT-70.

Durante a Operação, também foi possível formar, aprimorar e manter a capacitação técnica-operacional dos recursos humanos, além de certificar a confiabilidade dos meios operacionais para a execução da missão institucional do centro. “O elevado grau de dificuldade no rastreamento desse artefato - alta velocidade na saída da plataforma de lançamento, pouco tempo de queima do propelente e tamanho reduzido - permite a avaliação da capacidade dos meios de rastreio em um cenário mais complexo do que o encontrado nos lançamentos de veículos de sondagem e outros engenhos espaciais ensaiados nos Centros de Lançamento”, afirmou o Diretor do CLBI, Coronel Erivando Pereira Souza.

Nesse exercício operacional, o emprego conjunto para o esclarecimento da área marítima das aeronaves P-95 e H-36, respectivamente, do Terceiro Esquadrão do Sétimo Grupo de Aviação (3°/7° GAV) - Esquadrão Netuno e do Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1º/8º GAV) - Esquadrão Falcão , acrescido das equipagens da Marinha do Brasil (MB) e dos Radares no esclarecimento da área do próprio CLBI, assegurou a confiabilidade no processo decisório durante as cronologias de lançamento, além da segurança na operação.

O escopo do esclarecimento abrangeu 500 quilômetros quadrados de cobertura marítima, localizando, identificando e orientando as embarcações no polígono definido como área perigosa, ativado para a operação por meio de Aviso aos Navegantes emitido pela Marinha do Brasil.

Outro destaque foi a coordenação integrada do CLBI com o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN), Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III), Terceiro Distrito Naval e Organizações Militares da Guarnição de Aeronáutica de Natal (GUARNAE-NT), entre elas BANT, 1º/8º GAV, GSD-NT, 3º/1º GCC, DTCEA-NT e ES-NT, o que garantiu o sucesso da Operação Natal XLII, elevando as capacidades logística e operacional no cenário de emprego.

Durante a Natal XLII, também foram acionadas duas simulações de acidente na plataforma, sendo uma delas realizada, inopinadamente, durante a cronologia real de lançamento, quando foi possível ratificar a prontidão, a capacitação operacional e o adestramento das equipes.

O DCTA

O DCTA foi criado em 1969 e é o Órgão de Direção Setorial ao qual compete planejar, gerenciar, realizar e controlar as atividades relacionadas com a ciência, tecnologia e inovação, no âmbito do Comando da Aeronáutica. O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) e o Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), são as Organizações Militares responsáveis por realizarem testes operacionais e lançamentos de veículos espaciais e de rastreio visando a realização de experimentos científico e tecnológicos.

Fotos: CLBI


VEJA MAIS