COBERTURA ESPECIAL - Especial Espaço - Tecnologia

26 de Julho, 2013 - 01:00 ( Brasília )

AEB e CNPq - Espaço sem fronteiras

AEB e CNPq lançam Ciência sem Fronteiras Espacial para conceder 300 bolsas que vão formar especialistas em questões espaciais

 

Vivian Costa / SBPC


A Agência Espacial Brasileira (AEB) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) anunciaram nesta quarta-feira, dia 24, o lançamento do programa Ciência sem Fronteiras Espacial. Serão concedidas 300 bolsas de estudo para estudantes que queiram fazer intercâmbio no exterior. O objetivo é enfrentar a falta de mão de obra especializada para o desenvolvimento das atividades espaciais. Segundo Jose Raimundo Braga Coelho, presidente da AEB, em 2013 e 2014, o CNPq vai conceder vagas nas diversas modalidades. Dessas bolsas, 150 serão destinadas a trazer reconhecidos especialistas estrangeiros para atuarem no Brasil. O lançamento foi feito durante a 65ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso (SBPC).

Coelho lembrou que o Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE 2012-2021) exige um pessoal qualificado para atender às necessidades do país em tecnologias espaciais críticas, absorção, tecnológica nas áreas de satélites e lançadores. Essas são demandas presentes e futuras da Estratégia Nacional de Defesa, bem como da Agenda Tecnológica Setorial do Plano Brasil Maior. "O Brasil precisa de especialistas em questões espaciais, sobretudo para áreas de engenharia, pesquisa e indústria", disse. "Por isso, vamos buscar recursos humanos. Precisamos de qualidade, mas também de quantidade", revelou.

O presidente da AEB disse que agência está se associando às principais agências espaciais do mundo para trocar experiências. "Já fizemos acordo com agências no Japão, França, Ucrânia e Estados Unidos", disse. "Mas, também estamos negociando com outros países", contou. José Raimundo também disse que o Brasil já tem cursos de engenharia espacial em cinco universidades, mas que há uma negociação para que outras cinco também organizem os seus. "Precisamos de mão de obra qualificada", disse.

O presidente do CNPq, Glaucius Oliva, disse que o objetivo do programa é fomentar e consolidar, a curto prazo, a qualificação de brasileiros, para dar um grande salto no avanço da inovação no núcleo estratégico das tecnologias.



Outras coberturas especiais


Task Force Brazil

Task Force Brazil

Última atualização 09 ABR, 09:50

MAIS LIDAS

Especial Espaço