COBERTURA ESPECIAL - Russia Docs - Geopolítica

27 de Setembro, 2020 - 12:12 ( Brasília )

Putin supervisiona maiores manobras militares da Rússia, que contam com China


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, supervisionou nesta sexta-feira as maiores manobras militares do país, chamadas Cáucaso-2020, das quais também participam tropas de China e Irã, entre outros países.

Putin está supervisionando os exercícios no complexo militar de Kapustin Yar, na região de Astrakhan, banhada pelo Mar Cáspio.

Valeri Gerasimov, chefe do Estado-Maior do Exército russo, mostrou a Putin o veículo de apoio e combate Terminator, que tem quatro lançadores de mísseis Ataka.

Os exercícios, que a Ucrânia considera uma ameaça à sua segurança, também contaram com a estreia do lançador de mísseis TOS-2, que foi mostrado em público pela primeira vez neste ano no desfile militar pelo Dia da Vitória.

Os sistemas antiaéreos S-400 e as baterias de mísseis táticos Iskander também entraram em ação, enquanto os fuzileiros russos desembarcaram na costa do Daguestão, no Mar Cáspio.



Acompanhado pelo ministro da Defesa, Sergei Shoigou, o chefe do Kremlin presenciou o voo dos helicópteros Mi-24, Mi-8 e Mi-26 e conferiu operações de mais de mil soldados aerotransportados.

Além das 80 aeronaves, os bombardeiros estratégicos Tu-22 realizaram vários ataques contra alvos no solo durante os exercícios.

Hoje, as forças especiais do Paquistão, convidadas para as manobras junto com as de Belarus, Armênia e Mianmar, China e Irã também participaram, enviando mais de mil soldados.

No total, quase 80 mil pessoas estão participando dos exercícios terrestres, aéreos e marítimos - incluindo soldados, guardas nacionais e tropas de emergência - que são acompanhados por 70 adidos militares estrangeiros.

Por sua vez, a Otan manifestou preocupação com a realização de manobras em território de Belarus, coincidindo com protestos contra o governo do país.

Já o Ministério da Defesa russo anunciou que as tropas do país começaram hoje a deixar o território bielorrusso por via ferroviária.

Putin propõe aos EUA trocar garantias de "não interferência" em eleições

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, propôs nesta sexta-feira aos Estados Unidos uma troca de garantia de "não interferência" nos assuntos eleitorais de ambos os países, incluindo o uso de tecnologias da informação, informou o Kremlin.

Em comunicado divulgado no site da presidência, Putin pediu que o governo americano "reinicie" as relações na área de segurança da informação, listando as medidas que os dois países devem tomar.

 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Geopolítica Híbrida

Geopolítica Híbrida

Última atualização 17 JUN, 10:50

MAIS LIDAS

Russia Docs