COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Geopolítica

30 de Novembro, 2021 - 11:00 ( Brasília )

Ômicron pode impactar economia dos EUA e aumentar incerteza sobre inflação, diz Powell


O presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Jerome Powell, considera que o "aumento recente de casos de covid-19 e o surgimento da variante ômicron representam riscos de queda para o emprego e a atividade econômica e aumentam a incerteza sobre a inflação". Powell, a quem Joe Biden deu um novo mandato à frente do Fed, acredita, ainda que "os fatores que impulsionam a inflação para cima vão persistir no ano que vem", segundo discurso que dará na terça de manhã na comissão bancária do Senado e que foi publicado nesta segunda-feira (29).

"Uma maior preocupação com o vírus poderia reduzir a vontade de trabalhar presencialmente, o que frearia o avanço do mercado de trabalho e intensificaria os problemas na cadeia de abastecimento", acrescenta.

Os problemas de abastecimento causaram escassez de vários produtos que, somada a uma demanda em crescimento, contribuíram para acentuar os aumentos de preços. Powell advertiu que a inflação está "bem acima" da meta de 2% do organismo.

A inflação alcançou em outubro 5% em 12 meses, seu nível mais alto desde 1990, segundo o índice PCE do Departamento de Comércio. "Os problemas na cadeia de abastecimento dificultaram aos produtores responder a uma demanda robusta. O aumento dos preços da energia e aluguéis também está impulsionando a inflação", acrescentou. Embora o Fed continue considerando que a "inflação se moverá significativamente para baixo no ano que vem", Powell admite que a tendência é "difícil de prever".

Powell e a secretária do Tesouro, Janet Yellen, estarão terça e quarta-feira no Congresso perante a comissão bancária do Senado e a de Serviços Financeiros da Câmara de Representantes.


Fauci diz que novas restrições nos EUA devido à ômicron são improváveis

Os Estados Unidos dificilmente imporão restrições adicionais em reação à chegada esperada da variante ômicron da Covid-19, disse o maior especialista em doenças infecciosas do país nesta segunda-feira depois de o início de proibições de viagens a alguns países do sul da África.

O doutor Anthony Fauci disse que, embora as autoridades estejam se preparando para o primeiro caso confirmado da variante nos EUA, as vacinas continuam sendo uma das maiores ferramentas para atenuar seu impacto.

Horas antes, uma decisão norte-americana impediu o ingresso da maioria dos viajantes de oito países do sul africano na tentativa de refrear a transmissão e dar aos especialistas mais tempo para avaliar a ômicron, incluindo sua gravidade, transmissibilidade e impacto sobre as vacinas.

Indagado se outras restrições são iminentes, Fauci disse no programa "Good Morning America", da rede ABC News: "Não penso isso de jeito nenhum." A maior parte dos EUA se isolou no início de 2020, no início da pandemia, e outras medidas, como máscaras e exigências de vacinação, tornam-se politicamente polarizadoras, apesar de especialistas de saúde louvarem sua eficácia.

"Obviamente, estamos em alerta elevado", disse Fauci, o principal conselheiro médico de Biden, à ABC News. "É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, ela (ômicron) se dissemine amplamente."


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Base Industrial Defesa

Base Industrial Defesa

Última atualização 18 JAN, 21:00

MAIS LIDAS

Pandemic War