COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Geopolítica

25 de Outubro, 2021 - 10:50 ( Brasília )

China anuncia novos confinamentos após aumento de casos de covid-19


As autoridades chinesas determinaram o confinamento de dezenas de milhares de moradores do norte do país e pediram aos habitantes da capital que limitem os deslocamentos após o aumento de casos de covid-19, a apenas 100 dias do início dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim.

A China identificou 39 novos casos de covid-19 nesta segunda-feira e mais de 100 durante a semana passada. Muitos contágios estão relacionados com os deslocamentos de um grupo de turistas.

O governo chinês, que adota uma política de "tolerância zero" a respeito do vírus, reagiu rapidamente com a imposição de restrições, assim como a organização de campanhas de teste nas regiões afetadas.

Pequim, cidade que receberá os Jogos Olímpicos de Inverno a partir de 4 de fevereiro, adiou por tempo indeterminado a maratona que estava prevista para 31 de outubro e contaria com a participação de quase 30.000 corredores.

"A prova foi adiada para evitar o risco de transmissão epidêmica", anunciaram os organizadores.

Um funcionário do governo da capital chinesa pediu aos moradores que evitem viagens "desnecessárias" para fora da cidade e encontros com muitas pessoas.

Qualquer pessoa procedente de uma região onde foram identificados casos de covid-19 deve apresentar um teste negativo, anunciaram as autoridades.

Os novos casos de covid-19 foram detectados em 11 províncias, a maioria na região norte do país.

Em Ejin, uma cidade na Mongólia Interior, norte do país, quase 35.000 pessoas foram confinadas a partir desta segunda-feira por um período de duas semanas.

Em algumas cidades do norte do país, incluindo Lanzhou, capital da província de Gansu, os serviços de ônibus e táxi foram suspensos. Além disso, os locais turísticos foram fechados.

No domingo, as autoridades já haviam anunciado a suspensão das viagens turísticas organizadas a cinco áreas onde casos de covid-19 foram registrados, incluindo Pequim.

China adia maratona de Wuhan por foco de contágios de covid-19

A maratona de Wuhan, que deveria acontecer neste domingo, foi adiada praticamente sem aviso prévio pelos temores de um aumento de casos de covid-19 na China, antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim-2022.

Pequim registrou neste domingo 26 novos casos locais de covid-19, o mais recente surto a testar a política chinesa de tolerância zero com o vírus, a 100 dias do início dos Jogos.

As autoridades tentam conter os contágios do vírus com testes em larga escala e confinamentos direcionados.

Mas com o aumento de casos, os organizadores da maratona de Wuhan afirmaram em um comunicado o adiamento da prova na cidade da região central da China "para evitar o risco de uma propagação pandêmica".

O evento deveria atrair 26.000 participantes à cidade, onde o coronavírus foi identificado pela primeira vez no fim de 2019.

O comitê organizador informou que devolverá o valor da inscrição dos participantes.

A China conseguiu reduzir drasticamente os contágios de covid com uma campanha agressiva de testes e um rígido controle das fronteiras.

Não está claro se a maratona de Pequim acontecerá no próximo domingo.

Reino Unido tem 39.962 novos casos de Covid-19 e mais 72 mortes

O Reino Unido informou neste domingo 39.962 novos casos de Covid-19 e 72 novas mortes em 28 dias após um teste positivo (uma metodologia de contagem de óbitos).

Embora os números publicados pelo governo durante os finais de semana tendam a mostrar uma redução nos casos e nas mortes em comparação com os dias da semana, foi o domingo mais mortal desde o início de março.

 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Cyberwar

Cyberwar

Última atualização 01 DEZ, 09:30

MAIS LIDAS

Pandemic War