COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Defesa

21 de Julho, 2020 - 12:12 ( Brasília )

Operação Covid-19 completa quatro meses em apoio à população brasileira de todos os recantos do País


Margareth Lourenço E André Pinto

O ano de 2020 iniciou com cenário adverso devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. No Brasil, assim que surgiram os primeiros casos de infectados, o governo federal acionou um gabinete de crise. As Forças Armadas, por meio do Ministério da Defesa, estão inseridas neste contexto.

Hoje, segunda-feira (20), a Operação Covid-19 completa quatro meses de emprego dos militares em apoio à população de todos os recantos do País. Os integrantes da Defesa contribuem com transporte aéreo de materiais de saúde, distribuição de cestas básicas, doação de sangue, desinfecção de espaços públicos, entre outras necessidades.

As ações são coordenadas pelo Centro de Operações Conjuntas, que planeja as atividades com 10 Comandos Conjuntos ativados para essa finalidade. Esses Comandos cobrem todo o território nacional. A essa estrutura soma-se o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente.

Nesses 120 dias de guerra contra um “inimigo invisível, feroz, dedicado”, como comparou o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, assim que a Operação foi deflagrada, em 18 de março, os brasileiros têm ao seu lado, como sempre estiveram, as Forças Armadas.

A atuação dos militares já atingiu o efetivo de 34 mil homens e mulheres das Forças de Defesa, o emprego de 107 embarcações, 85 aeronaves e 1.802 viaturas no apoio ao desempenho das atividades.

Os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica distribuíram 806.874 kits de mantimentos, também doaram 454.068 alimentos prontos para consumo e 300.485 materiais de higiene. A medida é essencial no apoio às famílias em situação de vulnerabilidade social. Da mesma forma, o auxílio foi prestado a aldeias indígenas. Em diversas oficinas das Forças foram produzidas 566.480 máscaras de proteção e 13.150 protetores faciais, tipo face shield.

Outra parcela atendida com kits alimentação é composta pelas famílias dos alunos do Programa Forças no Esporte (PROFESP). A iniciativa, voltada para crianças e adolescentes de baixa renda foi suspensa em decorrência da pandemia. As atividades esportivas, cívicas e de reforço escolar são oferecidas no contraturno escolar.



Para amparar os beneficiários que ficaram sem as refeições oferecidas nas organizações militares, são distribuídos os kits de alimentos.Esse auxílio foi possível com os recursos passados pelo Ministério da Cidadania, parceiro do programa. A capilaridade das Forças Armadas possibilita a distribuição, inclusive para comunidades quilombolas e indígenas.

Entre as inúmeras atividades desenvolvidas incansavelmente pelos militares está a desinfecção de áreas de grande circulação. Um total de 3.971 locais públicos foram higienizados, tais como terminais rodoviários, estações de metrô, órgãos públicos civis e militares.

Para multiplicar esse conhecimento e possibilitar que outros agentes, militares e civis, deem continuidade às limpezas, 13.666 pessoas foram capacitadas.Para manter equilibrados os estoques de bancos de sangue nos 26 estados e no Distrito Federal, 22.981 militares realizaram doações. Ações de conscientização para a população saber como evitar a contaminação pelo novo patógeno e os cuidados a serem observados, somaram 2.463 campanhas.

Os militares ainda realizaram 2.027 patrulhas fluviais e 18 navais, apoiaram os órgãos de segurança pública no controle de circulação na fronteira em 6.084 postos, montaram 2.562 barreiras sanitárias e 1.771 postos de triagem. Órgãos de saúde por todo o Brasil contaram com o auxílio dos homens e mulheres da Defesa em 1.874 ações.

E o total de carga transportada, tanto por aeronaves da Força Aérea Brasileira quanto em voos fretados ou por meio terrestre chegara a 19.305 toneladas.

Em outra frente de atuação, foi lançada a campanha “Produtos ao Alcance de Todos”, com o cadastro de empresas e produtos para o combate à Covid-19. As informações são atualizadas diariamente e estão disponíveis para o Ministério da Saúde, Forças Armadas, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Atualmente, há mais de 1020 produtos ofertados por mais de 530 empresas.

Em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), com os Ministérios da Economia e da Saúde, com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e com empresas do setor automotivo, o Ministério da Defesa atua para viabilizar o reparo de respiradores danificados. A ação compreende todo o território nacional. Até sexta-feira (17), 1850 aparelhos foram reparados e entregues para diversas instituições de saúde em todo o País.

O trabalho do Ministério da Defesa é focado, principalmente, no transporte dos equipamentos em regiões remotas. Conforme levantamento da CNI, 3.919 respiradores foram recolhidos para conserto em unidades do SENAI.

Operação Covid-19



O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate ao novo coronavírus. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente.

A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia.As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.


VEJA MAIS