COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Aviação

20 de Julho, 2020 - 13:13 ( Brasília )

Alunos da Escola de Especialistas retornam às atividades

Alunos do CFS e EAGS chegaram na instituição de ensino em dias alternados

A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), sediada em Guaratinguetá (SP), retomou as aulas na segunda-feira (06/07), com o regresso dos 905 alunos do Curso de Formação de Sargentos (CFS) e do Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (EAGS). A Escola, pela qual se forma mais de 60% de todo efetivo da Força Aérea Brasileira (FAB), está atuando fortemente no combate à pandemia do novo coronavírus, preservando seus alunos, professores, efetivo da Guarnição e familiares.

Na última semana, antes do reinício das atividades das turmas, a Organização Militar (OM) realizou um cronograma de testagem para COVID-19 em todos os Alunos como reforço nas medidas de prevenção da doença. A Escola montou uma estrutura para realização dos testes, bem como para descontaminação das bagagens.

Do total de militares testados, cinco Alunos tiveram resultado positivo, o que representa cerca de 0,5% do efetivo total do corpo discente da Escola. Conforme as diretrizes do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) quanto à prevenção, à testagem e às respostas médicas relacionadas à COVID-19, os militares com suspeita de exposição ao novo coronavírus ou com quaisquer sinais da doença, por mais leves que sejam, são direcionados ao isolamento e recebem o tratamento preconizado pelo Ministério da Saúde com a devida supervisão da Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA).

“Todos passam bem e cumprem isolamento tendo acesso às mesmas condições de instalações e alimentação dos demais integrantes, com a observância de todos os protocolos de distanciamento e prevenção de contaminação, bem como tratamento adequado a cada caso”, explica o Comandante da EEAR, Brigadeiro do Ar Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues.

No primeiro semestre letivo, em função da pandemia de COVID-19, o corpo discente havia permanecido na EEAR desde o dia 9 de março até 29 de maio. A Diretoria de Ensino da Aeronáutica (DIRENS) realizou, então, um processo para possibilitar que o período de férias ocorresse junto de suas famílias. "Foi providenciada uma primeira série de testagem para possibilitar a liberação segura dos alunos. Para tanto, em coordenação com a DIRSA, os alunos passaram por avaliação do quadro de saúde e pelo Teste Rápido para COVID-19, resultando em nenhum caso confirmado", afirma o Diretor de Ensino da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Marcos Vinicius Rezende Mrad.

Medidas de prevenção da COVID-19 na EEAR



Com um efetivo de mais de 3.000 pessoas entre alunos e militares, a Guarnição de Aeronáutica de Guaratinguetá (GUARNAE-GW) tem atendido às diretrizes das autoridades sobre o enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente da COVID-19.

O Brigadeiro Soares reforça a adaptação que a Escola realizou e seu funcionamento durante a pandemia. “A EEAR é uma instituição de ensino militar que tem como alicerce didático, normativo e legal a modalidade de ensino sob o regime de internato, transparentemente difundido por meio de seus editais de convocação”, ressalta o Comandante da Escola.

A preocupação do Berço dos Especialistas - como é conhecida a Unidade de Ensino - se estende também aos familiares dos militares e à sociedade guaratinguetaense, na qual estão inseridos. Em função disso, uma série de ações foram implementadas ainda na fase inicial do isolamento, antes da liberação para o período de recesso, dentre elas: entrega de máscaras para todos os alunos e militares da Guarnição; divisão do efetivo em Forças em Alerta (FALERT), diminuindo a quantidade de pessoas no mesmo horário e local; a suspensão temporária de viagens para fora do Vale do Paraíba (SP); refeições na Guarnição apenas para equipe de serviço e casos excepcionais, com espaçamento nas mesas e ambientes arejados e abertos; Parada Diária apenas para equipe de serviço; atividade física fora do expediente e prática esportiva individual ao ar livre; e divisão do hospital (ES-GW) em duas áreas de atendimento isoladas, Emergência 1 (triagem de suspeita da COVID-19) e Emergência 2 (outras enfermidades).

Além das ações junto ao efetivo da Guarnição, o Corpo de Alunos (CA) também identificou e implementou ações objetivando a continuidade dos estudos presenciais de disciplinas práticas, considerando as características da formação do futuro sargento especialista e prezando sempre pela saúde de cada um dos alunos e alunas.

A rotina diária precisou ser alterada, sem prejudicar o processo de formação. Uma das alternativas para esse momento foi o desenvolvimento do trabalho com aulas gravadas ou videoconferências, diminuindo o contato dos professores com os alunos. Durante as aulas, foram respeitados os espaçamentos entre os alunos, em grupos reduzidos e em salas abertas e arejadas.

A prática da atividade física continuou, mas de forma individual, ao ar livre, e sem proximidade entre os praticantes. O mesmo foi feito com as aulas de ordem unida que, nesse caso, ocorreram com espaçamento duplo, sem deslocamento e sem canções ou “grito de guerra”. Com relação às refeições, foram estabelecidos novos horários, com os alunos divididos em grupos menores, sendo obrigatório o uso do álcool em gel, que foi disponibilizado na entrada dos refeitórios, e os assentos ocupados de forma intercalada, para evitar a proximidade entre os alunos.

"Dessa forma, a Escola de Especialistas de Aeronáutica entende que está realizando todos os cuidados relacionados à saúde, não apenas de seus alunos e familiares, mas também de todo seu efetivo, que continuará realizando o trabalho na Guarnição", conclui o Brigadeiro Soares.