COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Defesa

23 de Junho, 2020 - 10:30 ( Brasília )

Área de Cuidados em Boa Vista recebe os primeiros pacientes para tratamento da Covid-19


A Área de Cuidados, em Boa Vista (RR), recebeu os primeiros pacientes com Covid-19, na sexta-feira (19). Construída sob responsabilidade da Operação Acolhida, a unidade atende somente pessoas em situação de risco pela doença. No momento, estão internados 42 pacientes, sendo quatro deles indígenas. Inicialmente serão disponibilizados 80 leitos.

Os pacientes foram transferidos do Hospital Geral de Roraima, seguindo os protocolos determinados pela equipe médica. Além da construção, a Operação Acolhida cuida da infraestrutura física e da direção da Área de Cuidados.

Parte dos insumos, como medicamentos e equipamentos de proteção individual, foram doados pelo Hospital Sírio Libanês e empresa privada. Outra parte foi providenciada pelo Governo de Roraima, Prefeitura de Boa Vista e também por agências da ONU e parceiros.

Para o funcionamento total da unidade de saúde, com 782 leitos será providenciada contratação de corpo clínico. Para isso, foi assinado Termo de Cooperação entre os governos estadual, municipal e Universidade Federal de Roraima. Essa última responsável pela capacitação dos profissionais de saúde.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19.

Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas poderão ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determinará a melhor forma de atendimento.


VEJA MAIS