COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Defesa

22 de Junho, 2020 - 11:45 ( Brasília )

Operação Covid-19 de combate ao novo coronavírus completa três meses de atuação


A pandemia do novo coronavírus exigiu o apoio das Forças Armadas para conter o avanço da contaminação e amparar o povo brasileiro nesse cenário adverso. Neste sábado (20), o emprego dos militares na missão completa três meses. Os integrantes da Defesa estão em atividade por todo o País, contribuindo com transporte aéreo de materiais de saúde, distribuição de cestas básicas, doação de sangue, desinfecção de espaços públicos, entre outras necessidades.

Em 3 de fevereiro, foi decretado estado de emergência pelo Governo Federal para conter a disseminação do novo coronavírus. Pouco depois, em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde anunciou a pandemia global. A partir desta situação, o Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à Covid-19.

Nesse contexto, foram ativados 10 Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa, que recebeu o nome de Operação COVID-19, integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia. A atuação dos militares já atingiu o efetivo de 34 mil homens e mulheres das Forças de Defesa, o emprego de 107 embarcações, 85 aeronaves e 1.802 viaturas no apoio ao desempenho das atividades.

“Temos mais de 30 mil militares ajudando as famílias, os estados e os municípios a amenizar um pouco o sofrimento causado pela Covid-19. A missão tem sido muito positiva, até elogiada, com desinfecção, distribuição de alimento, doação de sangue, transporte de material de saúde. Somente a nossa Força Aérea Brasileira já completou o equivalente a oito voltas ao mundo no planeta, levando material de saúde e suprimento”, enalteceu o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, em ocasião da visita ao Comando Conjunto Bahia, na quarta-feira (17).

Durante esses pouco mais de 90 dias, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica arrecadaram e distribuíram 572.220 cestas básicas. A medida é essencial no apoio às famílias em situação de vulnerabilidade social. Da mesma forma, o auxílio foi prestado a aldeias indígenas.
 

Outra parcela atendida com kits alimentação é composta pelas famílias dos alunos do Programa Forças no Esporte (PROFESP). A iniciativa, voltada para crianças e adolescentes de baixa renda precisou ser suspensa em decorrência da pandemia. As atividades esportivas, cívicas e de reforço escolar são oferecidas no contraturno escolar. Para amparar os beneficiários que ficaram sem as refeições oferecidas nas organizações militares que implantaram o PROFESP distribuíram kits de alimentos.

Esse auxílio foi possível com os recursos passados pelo Ministério da Cidadania, parceiro do programa. A capilaridade das Forças Armadas possibilita a distribuição, inclusive para comunidades quilombolas e indígenas.