COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Defesa

22 de Junho, 2020 - 11:30 ( Brasília )

Militares das Forças Armadas distribuem cestas básicas no Acre e apreendem madeira no Pará


Tenente Raquel Alves E Tenente Otavio


Em continuidade às ações da Operação COVID-19, o Comando Militar da Amazônia entregou 2.782 cestas básicas para escolas indígenas e prefeituras dos municípios de Santa Rosa do Purus, Porto Walter, Porto Jordão e Marechal Thaumaturgo, municípios do Acre.

Foram entregues também outras 600 cestas básicas destinadas às prefeituras de Assis Brasil e Manoel Urbano para atender famílias de baixa renda. O 3º Batalhão de Engenharia de Combate Cachoeira do Sul, no Rio Grande do Sul, continua prestando apoio logístico às unidades de saúde da região. Os militares montaram barracas de campanha, em apoio ao Centro de Oncologia Regional de Cachoeira do Sul.

Forças Armadas apoiam população na batalha contra o novo coronavírus e combatem delitos ambientais na Amazônia Legal

A Guarnição da Aeronáutica de Barbacena (GUARNAE-BQ), em Minas Gerais, entregou mais de mil protetores faciais, tipo face shield, para reforçar a segurança dos profissionais de saúde da Santa Casa de Misericórdia e do Hospital Policlínica e Maternidade. "Essas máscaras são os equipamentos mais seguros para evitar a contaminação e aumentar a proteção de toda a equipe assistencial, médicos, enfermeiros e técnicos em enfermagem", afirmou o Diretor Clínico-Geral da unidade de saúde, Celso Campos. Por meio da Secretaria Municipal de Saúde, os materiais também serão distribuídos para outras instituições da região.

Em continuidade à entrega de insumos hospitalares, neste sábado (20), uma aeronave C-130 Hércules da FAB decolou de Guarulhos, em São Paulo, com destino a Boa Vista, no Estado de Roraima. O avião transportou 7,9 toneladas de materiais de saúde para serem usados no combate ao novo coronavírus.

Higienização



De acordo com as diretrizes do Comando Conjunto Oeste de controle da pandemia da Covid-19, a 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, Força Terrestre Componente Guaicurus, por intermédio do seu Esquadrão de Comando, descontaminou o Terminal de Transbordo do município de Dourados, em Mato Grosso do Sul.

O Comando Militar do Sudeste, por meio do 1º Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear também realizou ação de prevenção e combate ao novo coronavírus, higienizando o Aeroporto de Congonhas, na capital paulista. Os militares utilizaram produto a base de cloro e detergentes para descontaminar o local. Já em Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, o 29º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado prossegue no auxílio à sociedade com a desinfecção de locais públicos e de grande circulação de pessoas.

Doações de sangue

Militares do 1º Batalhão de Infantaria de Selva, em Manaus, participam da Campanha de Doação de Sangue do Comando Conjunto Amazônia. O esforço planejado é essencial para a manutenção dos estoques de bolsas de sangue na região.

Capacitação

A Marinha, por meio do Comando Conjunto Leste, capacitou em desinfecção na Cruz Vermelha. Os ensinamentos foram passados por militares da Escola de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica do Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas poderão ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determinará a melhor forma de atendimento.

Apreensão de madeira

O Comando Conjunto Príncipe da Beira fiscalizou madeireiras e fez patrulhamento motorizado na localidade de Buritis, em Rondônia. Foram revistadas 32 viaturas e 27 embarcações, sendo apreendidos 226 metros cúbicos de madeira ilegal e aplicadas multas no valor de R$ 150 mil.

No Estado do Pará, nos municípios de Belém e Almerim, as ações de controle ambiental do Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea resultaram na revista de 25 embarcações, das quais cinco foram apreendidas.

Estiveram à frente da missão militares do 52º Batalhão de Infantaria de Selva (52° BIS), que atuaram coordenados por agentes do IBAMA. Em Mato Grosso, 47 viaturas foram revistadas nos Postos de Bloqueio e Controle de Estrada, estabelecidos pelo Comando Conjunto Barão de Melgaço.

Operação Verde Brasil 2

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal.

A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020. Em 10 de junho, a GLO foi renovada até 10 de julho, por meio do decreto 10.394.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA).

Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF). Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).


VEJA MAIS