COBERTURA ESPECIAL - Pandemic War - Defesa

18 de Maio, 2020 - 12:00 ( Brasília )

Atividades das Forças Armadas refletem proteção e apoio à população


Tenente Felipe Bueno E Margareth Lourenço

A Operação Covid-19, deflagrada pelo Ministério da Defesa, por meio das Forças Armadas, caminha para o segundo mês de atividades, com os militares empenhados em manter locais públicos desinfectados e em prestar apoio à população mais vulnerável.

Nesse sentido, em Santa Maria (RS), o Centro de Adestramento Sul higienizou ambientes e materiais do posto de vacinação da Associação Comunitária do Núcleo Habitacional Tancredo Neves. Em Rondônia, no município de Guajará-Mirim, o 6° Batalhão de Infantaria de Selva capacitou moradores locais para atuarem nas ações de enfrentamento ao novo coronavírus.

No sábado (16), militares do Comando Conjunto Rio Grande do Norte e Paraíba descontaminaram ambientes e material no Porto de Cabedelo. Neste domingo, o trabalho de higienização ocorreu na Escola do Governo e do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP), na capital potiguar.

Para garantir a segurança da população, a desinfecção foi realizada em horário reservado, sem a concentração de pessoas no local, facilitando a condução da ação e a aplicação dos produtos químicos de forma segura.

A atividade contou com militares das Forças Armadas, habilitados para a descontaminação de ambientes, material e pessoal. Os militares foram capacitados pela Equipe de Resposta Nuclear, Biológica, Química e Radiológica (NBQR) do Comando do 3º Distrito Naval.

Em outra região, o Porto de Vila do Conde, o maior do Estado do Pará, localizado em Barcarena, também foi descontaminado. A atividades contou com apoio da Equipe de Resposta Nuclear, Biológica, Química e Radiológica do Comando do 4º Distrito Naval.

Para atender famílias ribeirinhas na Região do Alto Pantanal, o Navio-Transporte Fluvial “Almirante Leverger” partiu com 220 cestas básicas e profissionais de saúde. O navio permanecerá na região até 23 de maio.

Já no Sudeste, o apoio dos militares aos mais vulneráveis foi reforçado com a arrecadação de aproximadamente três toneladas de alimentos, a serem distribuídos para famílias necessitadas.

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19.

Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Delitos ambientais

Em continuidade à Operação Verde Brasil 2, militares das Forças Armadas reprimem delitos ambientais na Amazônia Legal. Neste domingo (17), o Comando Conjunto Príncipe da Beira, que atua no Acre, no Amazonas e em Rondônia deu sequência à fiscalização de madeireiras, fez transporte de produtos apreendidos e ofereceu apoio logístico e segurança a agentes de órgãos de Segurança Pública e Fiscalização.

Os militares, que atuam em ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais, realizaram apreensões de madeira, de armamentos e munição irregulares.

No Pará, o Comando Conjunto Soares de Andrea também fez reconhecimento aéreo a bordo da aeronave HM-2 Black Hawk, do Exército, e terrestre, em rodovias do Estado. Na malha fluvial, militares da Marinha inspecionaram dezenas de embarcações.

O Comando Conjunto Barão de Melgaço, em Mato Grosso, bloqueou e controlou estradas, revistou viaturas e embarcações. Essas ações resultaram em apreensão de madeira extraída ilegalmente.

Para acessar artigos da Operação Verde Brasil 2, visite o editorial [link].



VEJA MAIS