COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

22 de Abril, 2020 - 10:50 ( Brasília )

Silêncio da mídia norte-coreana sobre paradeiro de Kim atiça especulações sobre sua saúde


A mídia estatal da Coreia do Norte não fez menção à saúde ou ao paradeiro do líder Kim Jong Un nesta quarta-feira, um dia depois de uma especulação intensa sobre sua saúde ser provocada por reportagens segundo as quais ele está gravemente doente após um procedimento cardiovascular.

A mídia norte-coreana adotou uma postura de normalidade, publicando matérias sobre os feitos de Kim e publicando alguns de seus comentários mais antigos, ou sem data, sobre questões como a economia.

Autoridades da Coreia do Sul e da China e fontes a par da inteligência dos Estados Unidos questionaram reportagens das mídias sul-coreana e norte-americana segundo as quais ele está seriamente doente, e a Casa Branca disse que está monitorando a questão atentamente.

O presidente norte-americano, Donald Trump, que realizou cúpulas inéditas com Kim em 2018 e 2019 e tentou persuadi-lo a abdicar de suas armas nucleares, disse que as reportagens não foram confirmadas e não lhes deu muito crédito.

“Vamos ver como ele fica”, disse Trump em uma coletiva de imprensa na Casa Branca na terça-feira. “Não sabemos se as reportagens são verdadeiras.”

A especulação sobre a saúde de Kim emergiu devido à sua ausência da comemoração do aniversário de seu avô, Kim Il Sung, o fundador da Coreia do Norte, no dia 15 de abril.

Nesta quarta-feira, as principais manchetes da agência de notícias estatal KCNA incluíram notícias sobre equipamentos esportivos, a colheita de amora e uma reunião em Bangladesh para estudar a “juche”, a ideologia norte-coreana de autodependência.

O jornal oficial Rodong Sinmun publicou comentários antigos ou sem data atribuídos a Kim em artigos sobre economia, a indústria têxtil, o desenvolvimento das cidades e outros tópicos.

Como de praxe, o nome de Kim estava estampado em todo o jornal, mas não havia matérias sobre seu paradeiro.

Um porta-voz da Casa Azul presidencial sul-coreana disse que seu país não pode confirmar o paradeiro de Kim nem se ele passou por uma cirurgia. A Coreia do Sul não detectou nenhuma atividade incomum no vizinho do norte, disse ele.

O Daily NK, um site especializado de Seul, noticiou na noite de segunda-feira, que Kim, que se acredita ter 36 anos de idade, foi internado no dia 12 de abril horas antes do procedimento cardiovascular.

A versão em inglês da reportagem publicou uma correção na terça-feira dizendo que o texto se baseou em uma única fonte sul-coreana, e não várias, como dito inicialmente. Segundo o site, a saúde de Kim se deteriorou desde agosto devido ao seu tabagismo intenso, à obesidade e à sobrecarga de trabalho e ele está sendo tratado em uma vila na estância do monte Myohyan, ao norte da capital Pyongyang.


VEJA MAIS