COBERTURA ESPECIAL - Pacífico - Geopolítica

31 de Julho, 2019 - 11:10 ( Brasília )

Coreia do Norte dispara vários projéteis não identificados, diz agência Yonhap


A Coreia do Norte disparou múltiplos projéteis não identificados no início desta quarta-feira (horário local), relatou a agência de notícias Yonhap, citando o Estado Maior Conjunto da Coreia do Sul. 

Os projéteis foram lançados a partir da península de Hodo na província de Hamgyong Sul, no costa leste da Coreia do Norte, segundo os militares sul-coreanos, de acordo com a Yonhap. 

O Estado Maior sul-coreano disse que está monitorando a situação para o caso de novos lançamentos e mantém postura de prontidão, noticiou a Yonhap. 

A Casa Branca, o Pentágono e o Departamento de Estado dos Estados Unidos não responderam imediatamente aos pedidos de comentário. 

Na semana passada, a Coreia do Norte fez dois testes de lançamento com novos mísseis balísticos de curto alcance, o primeiro teste desde que o líder Kim Jong Un e o presidente dos EUA, Donald Trump, se encontraram e concordaram em retomar as negociações sobre desnuclearização.

Coreia do Norte testa mais mísseis apesar de busca de soluções diplomáticas

A Coreia do Norte disparou dois mísseis balísticos de curto alcance na manhã desta quarta-feira, disseram os militares sul-coreanos, poucos dias depois de lançar dois mísseis semelhantes visando induzir a Coreia do Sul e os Estados Unidos a desistirem de exercícios militares próximos.

Os disparos vieram na esteira de lançamentos feitos em 25 de julho, os primeiros testes de mísseis norte-coreanos desde que o líder norte-coreano, Kim Jong Un, e o presidente dos EUA, Donald Trump, se encontraram em 30 de junho e concordaram em retomar as conversas de desnuclearização.

A série de testes de mísseis eleva a pressão sobre os diplomatas norte-americanos e sul-coreanos que percorrem a região nesta semana na esperança de reiniciar as conversas, que visam persuadir Pyongyang a abdicar de suas armas nucleares e seus programas de mísseis balísticos.

“As ações da Coreia do Norte não ajudam a amenizar as tensões militares, nem ajudam a manter o ímpeto para as conversas que estão em andamento”, disse a ministra das Relações Exteriores sul-coreana, Kang Kyung-wha, a repórteres em Seul, antes de partir para um fórum de segurança do sudeste asiático em Bangcoc.

Kang exortou a Coreia do Norte a interromper os lançamentos de mísseis.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e o principal negociador norte-coreano também estão a caminho do Fórum Regional da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) na capital tailandesa, onde Pompeo disse que mantém a esperança de que autoridades dos EUA possam se encontrar com suas contrapartes norte-coreanas.

Trump e Pompeo minimizaram os lançamentos da semana passada, e Pompeo continuou a manifestar a expectativa de um avanço diplomático com a Coreia do Norte.

O lançamento mais recente ocorreu antes da primeira visita oficial do recém-nomeado secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, a Seul. Na terça-feira, o Pentágono disse que ela será parte de uma turnê pela Ásia em agosto.

Forças militares dos EUA e da Coreia do Sul estão cientes do lançamento desta quarta-feira, disse um porta-voz.

Os disparos desta quarta-feira ocorreram na área de Wonsan, no litoral leste da Coreia do Norte, de onde os mísseis da semana passada foram disparados, disse o Estado-Maior Conjunto sul-coreano em um comunicado, acrescentando que monitora a situação para o caso de novos lançamentos.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse que o lançamento desta quarta-feira não teve impacto na segurança de seu país.

 


VEJA MAIS