COBERTURA ESPECIAL - Nuclear - Tecnologia

17 de Dezembro, 2020 - 16:00 ( Brasília )

MME e EPE lançam o Plano Nacional de Energia 2050



Foi lançado na quarta-feira (16DEZ2020), pelo Ministério de Minas e Energia (MME) em parceria com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) o Plano Nacional de Energia - PNE 2050, um dos principais instrumentos de planejamento do MME, na medida em que suas análises buscam modelar e analisar o impacto no horizonte de longo prazo de diferentes escolhas de política energética tomadas hoje.



O objetivo, portanto, é auxiliar os tomadores de decisão num contexto em que as relações são muito complexas, as incertezas e variáveis são abundantes, algumas mudanças são por vezes disruptivas e, além disso, há a possibilidade de se deparar com eventos raros, inesperados e de grande magnitude.

A publicação do PNE 2050 ocorre de maneira tempestiva, mesmo que ainda envolta em incertezas devido à crise global do novo coronavírus, que afeta a saúde pública, os rumos da economia, da sociedade e, consequentemente, do setor energético, tão importante e essencial a nosso País.

As diretrizes e princípios extraídos do processo de pensar o setor energético em 2050 são insumo valioso no momento em que se discutem medidas e oportunidades no momento do pós-crise.

O PNE tem um ciclo de elaboração e publicação de 5 anos, conforme a Portaria MME nº 6/2020. Assim, é possível atualizar as projeções de longo prazo e os trade-offs das diferentes escolhas de política energética à mais atuais condições macroeconômicas, de desenvolvimento tecnológico e de atualizações legais e regulatórias.

Esse processo contínuo de aprimoramento do planejamento é positivo no sentido de transmitir tempestivamente os sinais de tendência dos investimentos na expansão do setor de energia.

Portanto, o PNE é um instrumento de grande valia tanto para o Governo quanto para a sociedade, em especial os empreendedores do setor. Por ser estratégico, ele deve ser o alicerce a partir do qual planos, políticas, programas e iniciativas devem ser desenvolvidos.

Logo, o PNE tem natureza mais transformacional, no sentido de que não deve apenas considerar políticas vigentes, mas, também, auxiliar a proposição de novas para a consecução de objetivos estratégicos, o que nos permite visualizar movimentos mais substanciais de mudanças de matrizes (energética e elétrica) a depender das políticas energéticas que se desejar implementar.

"Uma das principais mensagens que o PNE 2050 traz é a mudança de paradigma sobre a disponibilidade de recursos energéticos. A disponibilidade de recursos supera em muitas vezes as projeções mais otimistas de demanda por energia para os próximos 30 anos. Temos a grande oportunidade de passar a sermos exportadores líquidos de energia!", afirmou o Ministro Bento Albuquerque.

O evento contou com a presença do Embaixador da Índia no Brasil, Suresh Reddy e todos os secretários do Ministério de Minas e Energia


Ministério de Minas e Energia Lança o Relatório Final do Plano Nacional de Energia 2050 - PNE 2050

O Ministério de Minas e Energia (MME) anuncia e disponibiliza o Relatório Final do Plano Nacional de Energia 2050 – PNE 2050. Esse novo Plano vem resgatar o planejamento de longo prazo do setor de energia que havia sido paralisado desde a publicação em 2007 do PNE 2030. 

O PNE 2050 sinaliza o compromisso do Governo Bolsonaro em nortear as decisões de política energética a partir de uma visão estratégica e de longo prazo. O documento foi elaborado com o concurso da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) a partir de diretrizes do MME.

Construído a partir das principais questões relevantes no horizonte, o PNE 2050 explora, por meio de cenários, os diversos aspectos da evolução do Setor em uma perspectiva de múltiplas alterações na produção e uso de energia, comumente aglutinadas na chamada transição energética.

Em um contexto de grande imprevisibilidade, o PNE busca explorar alternativas de futuro de modo a aprimorar o processo de tomada de decisão em políticas energéticas. A variedade de possibilidades e a incerteza resultante requer que o decisor evite escolhas que redundem em trajetórias tecnológicas que se tornem mais custosas a opção de interromper sua implementação, caso se mostrem posteriormente equivocadas, fenômeno conhecido como trancamento tecnológico.

O Departamento de Informações e Estudos Energéticos (DIE) da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético (SPE) do MME é o responsável pelo gerenciamento do Plano.

O PNE2050 está na íntegra abaixo via Scribd

O Anexo  pode ser baixado aqui diretamente do MME Link


Relatório Final do Plano Nacional de Energia 2050 – PNE 2050 by Nelson Düring on Scribd


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


SIMDE

SIMDE

Última atualização 21 OUT, 12:00

MAIS LIDAS

Nuclear