28 de Outubro, 2019 - 12:00 ( Brasília )

Marinha do Brasil monitora área marítima do nordeste e atua na limpeza de material oleoso


Militares da Marinha do Brasil (MB), por meio do Navio-Patrulha (NPa) "Guaíba" monitoraram, no dia 25 de outubro, a área marítima na Paraíba, em ações de combate às manchas de óleo no Nordeste.

Em resposta ao crime ambiental ocorrido em setembro, quando houve um derramamento de petróleo no litoral do Nordeste, a MB já empregou mais de 2,7 mil militares de 48 organizações militares, distribuídos em 16 navios de superfície, 2 helicópteros, 4 aeronaves de asa fixa da Força Aérea Brasileira, 63 viaturas, 2 grupamentos de fuzileiros navais, 21 equipes de inspeção naval e cinco centros de comando das operações, tendo realizado, até hoje, mais de 1,2 mil inspeções navais.


Navios da Marinha do Brasil recolhem 2.700 quilos de óleo no mar de cinco estados do Nordeste



Os navios da Marinha do Brasil recolheram, desde o início das ações de combate às manchas de óleo no Nordeste, 2.700 quilos de resíduos nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, que compõem a área de jurisdição do Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN).

Foram empregados até o momento, no mar dos cinco estados nordestinos, os Navios-Patrulha “Macaé”, “Macau”, “Guaíba”, “Goiana”, “Graúna”, “Gravataí”, e “Bocaina”; o Navio-Balizador “Comandante Manhães”; a Corveta “Caboclo”; e o Navio de Desembarque de Carros de Combate "Almirante Saboia".

Como previsto no Plano Nacional de Contingência, para a gestão de ações de resposta e elucidação dos fatos, o Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil, o Ibama e a ANP, vem realizando um trabalho incessante, desde a primeira aparição de manchas de óleo, de monitoramento do litoral e limpeza das praias, além de conduzir investigação sobre causas e circunstâncias do evento.

O GAA atua em coordenação com o Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira, ICMBio, Polícia Federal, Petrobras, Defesa Civil, assim como, diversas instituições e agências federais, estaduais e municipais, além de empresas e universidades.


Marinha atua na limpeza de material oleoso na Bahia e Sergipe


Ao longo do dia 25 de outubro, militares da Marinha do Brasil (MB), subordinados ao Comando do 2º Distrito Naval, realizaram a remoção de resíduos de óleo em Ilhéus-BA.

Parte da tripulação do Navio-Varredor (NV) “Aratu”, que realizava monitoramento na área do Arquipélago de Tinharé, na Bahia, também foi empregada na limpeza das praias de Morro de São Paulo e Boipeba-BA. Em paralelo, a Marinha realizou sobrevoos de reconhecimento, em aeronaves do Ibama e da Petrobras, para detectar o aparecimento de manchas de óleo em sua área de jurisdição do 2º Distrito Naval, ao sul de Salvador-BA, incluindo pouso em Boipeba.

Além disso, diariamente, as equipes das Capitanias dos Portos, Delegacias e Agências subordinadas monitoraram a área costeira da Bahia e Sergipe, em coordenação com órgãos ambientais e prefeituras da região. Também são empregadas equipes de Fuzileiros Navais na área costeira de Salvador e na área interna da Baía de Todos-os-Santos.


Militares da Marinha do Brasil recolhem resíduos de óleo em Feliz Deserto-AL

Militares da Marinha do Brasil recolheram resíduos oleosos na praia de Feliz Deserto, no estado de Alagoas, no dia 25 de outubro. Durante a operação, foram retiradas da praia aproximadamente seis toneladas do material que vem poluindo o litoral do Nordeste brasileiro desde o início de setembro.

A ação de limpeza foi realizada pela Capitania dos Portos de Alagoas e contou com a participação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos e funcionários da Prefeitura de Feliz Deserto.

A cooperação de instituições federais, estaduais, municipais e de voluntários, vem auxiliando na recuperação de praias e rios afetados.



ÚLTIMAS

MAIS LIDAS