Marinha suspende comemorações da data mais importante do calendário naval

Esforços estão voltados para ação humanitária no Sul

As tradicionais atividades comemorativas alusivas ao Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo, que representa o Dia da Marinha, celebrado em 11 de junho, não serão realizadas neste ano. As exposições, visitações publicas a navios, apresentações de bandas de música, confraternizações e competições darão lugar a ações humanitárias em prol das vítimas das chuvas no Rio Grande do Sul (RS).

A Força entende que, desde o início da tragédia, seus militares devem estar inteiramente focados em salvar o máximo de vidas e aliviar o sofrimento dos gaúchos, imbuídos dos mesmos valores dos heróis do passado, que não esmoreceram mesmo diante de circunstâncias tão desafiadoras.

Com 90% do estado do Rio Grande do Sul atingido pelas fortes chuvas, desde o fim de abril, os militares colocaram-se, novamente, na zona de combate em defesa da população. Todo o contingente sediado na região foi mobilizado e, com o agravamento da situação, efetivos de outros estados foram convocados para reforçar as ações. Assim, mais de 2.000 militares e 320 meios da Marinha do Brasil (MB) foram direcionados para o local, entre embarcações, helicópteros e viaturas. Já são cerca de 3.000 pessoas resgatadas e milhares de toneladas de suprimentos transportados.

Em outra frente, uma Força-Tarefa da Marinha integra esforços para a reconstrução do RS, atuando na desobstrução de vias e revitalização de escolas públicas. Compõem a Força-Tarefa de apoio humanitário 200 Fuzileiros Navais e 40 viaturas, além de equipamentos, maquinários e materiais. Em Guaíba, os Fuzileiros Navais trabalham na reconstrução de sete escolas, realizando a remoção de lixo e entulho; limpeza de compartimentos; higienização; manutenção e reparos (elétricos, de carpintaria, metalurgia, pintura e obras em geral). O trabalho foi iniciado na Escola Municipal de Santa Rita, a maior escola de Guaíba (RS), que atende quase dois mil alunos, cuja entrega ocorreu no início do mês.

Na história recente do Brasil, esta é a segunda vez que a Força Naval deixa de celebrar o Dia da Marinha e os heróis nacionais que lutaram para garantir a vitória na Batalha Naval do Riachuelo. A primeira foi durante a pandemia, que ceifou a vida de milhões de pessoas em todo o mundo, em 2020. Esse ano, a suspensão das comemorações da data mais importante do calendário da MB foi determinada pelo Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, em mensagem transmitida no último mês, para toda a Força Naval.

Na mesma determinação, o Comandante da Marinha também suspendeu a veiculação da campanha publicitária institucional do Dia da Marinha, outra tradicional ação que a Força realiza anualmente. O vídeo da campanha, que estava em produção com captação de imagens em diversos navios e tinha previsão de veiculação na TV aberta, foi substituído por um outro que tem sido divulgado apenas em canais da própria Força.

Com narração de uma marinheira gaúcha, o novo vídeo comunica que não haverá celebrações e reproduz a célebre mensagem transmitida pelo Almirante Barroso aos seus comandados na Batalha Naval do Riachuelo, que se encaixa para os desafios que a Nação enfrenta atualmente: “O Brasil espera que cada um cumpra o seu dever”. O slogan também foi alterado para “Marinha do Brasil: a Força de todos os brasileiros!”.  

Batalha Naval do Riachuelo

Há 159 anos, a Marinha do Brasil liderava a primeira e mais decisiva vitória do País sobre as forças inimigas que tentavam usurpar seu território, na maior guerra que a América do Sul já testemunhou. Centenas de brasileiros sacrificaram suas vidas naquele grave episódio do dia 11 de junho de 1865, que ficou conhecido como Batalha Naval do Riachuelo, quando a então Armada Imperial Brasileira anulou a ameaça da Marinha paraguaia, garantindo, para os aliados da Tríplice Aliança, o controle da navegação na Bacia do Prata (que engloba MS, MT, Argentina, Bolívia e Paraguai), essencial ao sucesso dos combatentes em terra. Em homenagem aos inúmeros heróis de Riachuelo, a Força Naval adota a data como o dia da própria Instituição.

Fonte: Agência Marinha de Notícias

Compartilhar:

Leia também

Inscreva-se na nossa newsletter