COBERTURA ESPECIAL - Helibras - Naval

06 de Maio, 2020 - 00:10 ( Brasília )

PROANTAR - Retorne à base após outra campanha antártica de sucesso





Os dois helicópteros H125 - também conhecidos como UH-13 na Marinha do Brasil - estavam voltando para casa depois de passar cinco meses no continente antártico a bordo do navio "Ary Rongel", um dos navios de pesquisa da Marinha, que, juntamente com outros quebra-gelo, Almirante Maximiliano, participa todos os anos do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR).

"Os helicópteros do Esquadrão de Helicópteros HU-1 da Marinha do Brasil participam do programa PROANTAR desde a primeira campanha em 1981", declarou orgulhosamente Erikson Mendonça da Silva, comandante do Esquadrão de Helicópteros HU-1. “Os dois UH-13 receberam uma pequena homenagem depois de terem contribuído para 33 missões bem-sucedidas na Antártica!”

A Marinha do Brasil é responsável pela logística do programa PROANTAR, nascido em 1981 para coordenar e fornecer apoio operacional às iniciativas de pesquisa do Brasil no continente gelado, em áreas que incluem oceanografia, biologia, glaciologia, química e meteorologia.

Como parte do apoio logístico, a Marinha é responsável pelo transporte de pessoal, equipamentos e suprimentos para a Antártica, mas também assegura a manutenção da estação de pesquisa Comandante Ferraz do Brasil na Antártica, incluindo seus laboratórios e abrigos. A capacidade multi-missão dos helicópteros do Esquadrão HU-1, bem como sua confiabilidade e desempenho no clima polar, são ativos reais para as operações muito exigentes da Marinha na Antártica.




O papel dos helicópteros é fundamental em ambientes tão adversos e a Marinha confia neles para uma ampla variedade de missões.

“Em geral, nós os usamos para transportar mercadorias e pessoal do navio para os campos de pesquisa, mas eles também são extremamente valiosos para realizar missões de evacuação médica e de busca e resgate”, disse o capitão Edgard Cardoso Gama, oficial de operações da Marinha Naval Brasileira. Comando da Força “Alguns dos projetos de pesquisa, principalmente os relacionados à paleontologia, são realizados em áreas muito remotas que requerem navegação pelo mar de Weddel. Nesse tipo de missão, o papel dos helicópteros também é essencial, pois eles são capazes de guiar o curso do navio ao longo dos campos de gelo. ”14

Voando em clima polar

Apesar das campanhas antárticas serem realizadas durante o período de verão (Dezembro a Março no Hemisfério Sul), as condições climáticas continuam sendo o maior desafio para a equipe de quatro pilotos e nove mecânicos da Marinha encarregados dos dois helicópteros UH-13.

“Durante o verão antártico, as temperaturas costumam ficar em torno de -10 ° C, mas as condições climáticas podem variar bastante ao longo do dia, exigindo um planejamento cuidadoso e monitoramento constante”, observou o capitão Gama.

“Quedas de neve repentinas, ventos fortes e falta de visibilidade são frequentes e, em alguns dias, somos obrigados a relatar nossas operações aéreas. Por outro lado, quando as condições são favoráveis ??e dada a duração do dia antártico, podemos realizar até 12 horas de operações em um dia. Durante a última campanha, nossos 2 helicópteros voaram cerca de 150 horas”.

A campanha PROANTAR 2019-2020 ocorreu de 25 de outubro de 2019 a 8 de abril de 2020 com a participação de 250 pesquisadores trabalhando em 23 projetos científicos diferentes. O programa PROANTAR garante a posição do Brasil como membro consultor do Tratado da Antártica.

 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Ecos - Guerras, Conflitos, Ações

Ecos - Guerras, Conflitos, Ações

Última atualização 10 AGO, 12:12

MAIS LIDAS

Helibras