COBERTURA ESPECIAL - Gripen NG Brazil - Aviação

21 de Outubro, 2020 - 09:09 ( Brasília )

F-39E Gripen - o primeiro voo em espaço aéreo brasileiro

O voo ocorreu no trajeto entre Navegantes (SC) e Gavião Peixoto (SP), no dia 24 de setembro

A primeira aeronave multimissão F-39E Gripen tocou o solo brasileiro no dia 20 de setembro. O caça chegou pelo Porto de Navegantes (SC), após ter sido transportado em um navio, de Norrköping, na Suécia. O trajeto do F-39E Gripen do porto para o aeroporto foi feito na madrugada do dia 22, por militares do Grupo de Segurança e Defesa (GSD) de Canoas, Santa Maria e Florianópolis, além do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de Santa Catarina.

Outros órgãos também participaram da ação: Receita Federal, Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (INFRAERO), Prefeitura Municipal de Navegantes, Fundação Municipal de Vigilância e Trânsito (NAVETRAN) e Bombeiros Voluntários de Navegantes.

No dia 24, decolou do Aeroporto de Navegantes para Gavião Peixoto (SP), acompanhado por dois F-5M pertencentes ao Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1º/14º GAV) – Esquadrão Pampa. Dois helicópteros da FAB, um H-36 Caracal e um H-60L Black Hawk, foram mantidos de sobreaviso para qualquer eventualidade.

Em Gavião Peixoto, o caça ficará alocado no Centro de Ensaios em Voo do Gripen (GFTC, do inglês Gripen Flight Test Center), uma estrutura construída para a transferência de tecnologia, suporte e atualizações no ciclo de vida da plataforma na FAB.

A aeronave será empregada nas atividades de desenvolvimento conjunto que serão realizadas no parque industrial brasileiro, por cooperação entre a SAAB e as empresas nacionais selecionadas como beneficiárias no programa de transferência de tecnologia (offset).

Para o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, a chegada da primeira unidade da aeronave F-39E Gripen é um grande marco para o projeto. “É uma imensa satisfação ver esta aeronave voando em território nacional. O F-39E/F Gripen, será a espinha dorsal da Aviação de Caça e veio para reafirmar o compromisso da FAB em manter a soberania do País, defendendo os 22 milhões de quilômetros quadrados sob sua responsabilidade”, ressalta o Comandante.


VEJA MAIS