COBERTURA ESPECIAL - Guerra Informação e Híbrida - Geopolítica

22 de Dezembro, 2020 - 11:11 ( Brasília )

Continuem o bom trabalho, diz Putin a membros de agência de espionagem russa


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou que o serviço de inteligência estrangeira é excepcionalmente importante para proteger o país, em comentários realizados pouco depois de o órgão ser acusado de estar por trás de um grande ataque cibernético ao governo dos Estados Unidos.

Falando em um evento que comemorava os 100 anos da fundação do serviço de inteligência estrangeira SVR, Putin disse que a agência e outros serviços de segurança são uma garantia crucial para “a soberania, a democracia e o desenvolvimento independente” da Rússia.

Alguns pesquisadores internacionais sugeriram que o SVR pode estar por trás de ataques hackers sem precedentes ao sistema de computadores do governo dos EUA, veiculados em primeira mão pela Reuters na semana passada.

O secretário de Estados dos EUA, Mike Pompeo, afirmou na sexta-feira que a Rússia era responsável pelo ataque. O Kremlin sempre negou o envolvimento de Moscou em ataques cibernéticos contra o Ocidente, e afirmou que a Rússia não teve nada a ver com o último deles.

Putin afirmou durante o evento, que também marcou o Dia do Trabalhador dos Serviços de Segurança, que era importante continuar desenvolvendo o trabalho das agências de contra-inteligência.

“Eu sei do que estou falando”, disse Putin, um ex-agente da KGB, em comentários publicados no site do Kremlin. “E eu valorizo muito as operações profissionais muito difíceis que foram conduzidas”.

“Temos que ter o máximo de atenção com a segurança da informação, a luta contra o extremismo e contra corrupção”, acrescentou.

Procurador-geral dos EUA acusa a Rússia por ataque cibernético¹


O procurador-geral dos EUA, Bill Barr, disse na segunda-feira (21) que a Rússia está por trás do ataque cibernético maciço que atingiu o governo de seu país, contradizendo a sugestão do presidente Donald Trump de que a China pode estar envolvida.

Dois dias depois de Trump minimizar o que os especialistas em Inteligência chamaram de violação mais devastadora da cibersegurança dos EUA em anos, Barr disse que concordou com o secretário de Estado Mike Pompeo em culpar Moscou pelo ataque.

"Pelas informações que tenho, concordo com a avaliação do secretário Pompeo. Certamente parecem ser os russos", disse ele, se recusando a acrescentar mais detalhes.

O ataque começou em março, quando os hackers aproveitaram uma atualização do software de vigilância desenvolvido pela empresa SolarWinds, com sede no Texas, que é usado por dezenas de milhares de empresas e governos em todo o mundo.

Na semana passada, a Agência de Infraestrutura e Segurança Cibernética dos EUA (CISA) disse que agências governamentais, entidades importantes de infraestrutura e organizações do setor privado foram alvos do ataque cibernético.

Embora a CISA não tenha identificado o perpetrador, consultores de segurança, legisladores de alto nível dos EUA informados por oficiais de Inteligência e Pompeo apontaram para a Rússia.

Barr, que tem sido um aliado político crucial de Trump, deixará o cargo esta semana, um mês antes de o presidente republicano deixar a Casa Branca em 20 de janeiro, após sua derrota na eleição do mês passado para presidente eleito, o democrata Joe Biden.

¹com AFP



Outras coberturas especiais


Doutrina Militar

Doutrina Militar

Última atualização 08 MAR, 11:50

MAIS LIDAS

Guerra Informação e Híbrida