COBERTURA ESPECIAL - Guerra Informação e Híbrida - Geopolítica

21 de Outubro, 2020 - 11:05 ( Brasília )

Relatório revela as táticas do governo sírio para conservar suas armas químicas


Um relatório sobre o funcionamento do programa químico sírio elaborado por duas ONGs revelou as "táticas" do governo para "evitar o acordo de desmantelamento de seu arsenal" e, desse modo, conservar sua "capacidade ofensiva", informou nesta terça-feira (20) o jornal Le Monde.

O jornal francês indicou que na segunda-feira "duas ONGs envolvidas no combate à impunidade no conflito sírio, Open Society Justice Initiative (OSJI) e Syrian Archive, entregaram a vários organismos de investigação nacionais e internacionais um relatório com uma precisão inédita sobre o funcionamento deste programa" de fabricação de armas químicas do governo de Damasco.

Os jornais Le Monde, Washington Post, Financial Times e o alemão Süddeutsche Zeitung obtiveram uma cópia exclusiva do relatório de 90 páginas e que é "o resultado de três anos de trabalho".

Segundo o jornal francês, este "revela como as autoridades de Damasco enganaram a Organização para a Proibição das Armas Químicas (OPAQ), o órgão encarregado de desmantelar o arsenal químico sírio".

O relatório denuncia, segundo o Le Monde, que as autoridades sírias enganaram a OPAQ através da "transferência de uma parte de seu estoque de armas e de substâncias letais com bases da Guarda Republicana, a unidade de elite do regime", assim como com a "perseguição e prisão de funcionários considerados duvidosos" e com "a criação de uma filial secreta de importação de produtos usados em agentes neurotóxicos como o sarin".

Em agosto de 2013, um ataque químico, atribuído ao governo de Bashar al-Assad, provocou mais de 1.400 mortes em um enclave rebelde perto de Damasco, segundo denunciou o governo dos EUA.

O relatório foi realizado "a partir da análise de fontes abertas, da exploração de dados obtidos a partir de uma inspeção das Nações Unidas", além dos depoimentos de cerca de 50 funcionários sírios.

"Nosso relatório demonstra que a Síria ainda dispõe de um programa de armas químicas igualmente robusto", afirmou Steve Kostas, da OSJI, citado pelo Le Monde.



Outras coberturas especiais


Doutrina Militar

Doutrina Militar

Última atualização 27 NOV, 19:30

MAIS LIDAS

Guerra Informação e Híbrida