COBERTURA ESPECIAL - Guerra Informação e Híbrida - Defesa

18 de Agosto, 2020 - 11:11 ( Brasília )

MD - Nota de esclarecimento à matéria intitulada “Repórteres se deparam com Pantanal de morte e impotência” (Folha)


Em relação à matéria intitulada “Repórteres se deparam com Pantanal de morte e impotência”, publicada em 16 de agosto pelo Jornal Folha de São Paulo, a Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 6º Distrito Naval, esclarece que a Operação Pantanal, em combate aos incêndios no bioma, foi deflagrada em 25 de julho pelo Ministério da Defesa, por solicitação do Estado de Mato Grosso do Sul. Diferente do que a matéria induz a pensar, não é uma operação militar e sim um trabalho interagências entre Forças Armadas, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso, Polícia Militar Ambiental e Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Com relação à participação das Forças Armadas no combate ao fogo no Pantanal, suas ações contam com fuzileiros navais com curso de combate a incêndio florestal e foram planejadas visando, também, à contribuição no aspecto logístico, com emprego de helicópteros capazes de realizar, em minutos, o transporte de pessoal, material e mantimentos às frentes de combate aos incêndios em locais onde, na maioria das vezes, o deslocamento seria inviável por vias terrestres ou fluviais e, quando possível, levaria horas ou dias.

O Pantanal é a maior planície alagável do planeta, ocupando só no Brasil uma área equivalente a uma vez e meia o tamanho de Portugal, e tem sofrido com a maior seca dos últimos anos.

A Operação Pantanal teve início pela sua porção sul-mato-grossense, que concentra dois terços da área total do bioma. A região possuía 21 pontos de queimadas. Ao longo dos trabalhos, os índices iniciais foram ultrapassados, passando para o total de 32 pontos. Após três semanas de atividades de aeronaves, brigadistas e militares, os pontos de queimadas foram controlados e, no momento, não há registros de fogo aparente na região. As ações foram estendidas à porção do Pantanal no Estado de Mato Grosso no dia 6 de agosto e prosseguem na região, apresentando como resultado redução dos pontos de incêndios.

Por fim, a MB ressalta que a força-tarefa reúne cerca de 400 profissionais, entre militares, bombeiros militares, brigadistas do Ibama/Prevfogo e ICMBio, operando dia e noite em condições difíceis e em regiões inóspitas. As equipes estão trabalhando há quase um mês diante desse cenário sem registro de incidentes relevantes ou perda de vida humana.

Comunicação Social do Com6ºDN


Outras coberturas especiais


Forças Especiais

Forças Especiais

Última atualização 25 NOV, 09:50

MAIS LIDAS

Guerra Informação e Híbrida