COBERTURA ESPECIAL - EDA - Esquadrilha da Fumaça - Aviação

08 de Setembro, 2020 - 10:10 ( Brasília )

Esquadrilha da Fumaça representa Forças Armadas na cerimônia do Dia da Pátria


Mariana Alvarenga

Sete de Setembro, Dia da Independência. Diante da pandemia do novo coronavírus, a Presidência da República suspendeu o tradicional desfile cívico na Esplanada dos Ministérios. Mas a data não poderia passar em branco.

O Dia da Pátria foi celebrado na Praça das Bandeiras, no Palácio da Alvorada. O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, prestigiou a solenidade ao lado do Presidente da República, Jair Bolsonaro, e das demais autoridades civis e militares.

Em mensagem divulgada em redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter), Fernando Azevedo falou da importância do Dia da Independência. "O Sete de Setembro foi um passo fundamental para a construção da nação brasileira. As Forças Armadas fazem parte dessa história, de liberdade e amor à Pátria. Que o dia da independência seja comemorado em todo o País e, principalmente, no coração de todos nós", disse ele.

O Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), ou Esquadrilha da Fumaça, como é popularmente conhecido, abriu a cerimônia, rasgando o ar para escrever “Brasil” no céu azul e ensolarado da Capital Federal. Em seguida, foram executados o Hino Nacional e o Hino da Independência, pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial, na Praça das Bandeiras, ao mesmo tempo em que era hasteada a Bandeira Nacional.

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou cercado por crianças, no Rolls Royce presidencial. A breve cerimônia durou cerca de meia hora, mas por mais de 15 minutos foi possível assistir à apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Sete aeronaves sobrevoaram o céu limpo de Brasília, com acrobacias e manobras arrojadas. Crianças, jovens e adultos olhavam para cima, maravilhados com as demonstrações.

O Comandante do EDA, Tenente-Coronel Aviador Marcelo Franklin, ressaltou que a Aeronáutica tem a honra de participar desse momento cívico. "Esquadrilha da Fumaça e Dia da Independência são nomes que o público espera ver juntos. Esse ano, devido à pandemia, apesar de não termos o tradicional desfile em Brasília, a Força Aérea Brasileira teve a honra de participar desse importante momento cívico. Tivemos o privilégio de representar as demais Forças e todos os brasileiros durante o evento”, pontuou.

O EDA treina suas demonstrações semanalmente e, quando chamado para eventos de grande porte, como esse, já está preparado. Durante a pandemia do novo coronavírus, as apresentações estão suspensas.



Outras coberturas especiais


Dossiê EMBRAER

Dossiê EMBRAER

Última atualização 18 JAN, 20:00

MAIS LIDAS

EDA - Esquadrilha da Fumaça