COBERTURA ESPECIAL - Ecos - Guerras, Conflitos, Ações - Aviação

21 de Setembro, 2020 - 10:10 ( Brasília )

124 anos do nascimento do Marechal do Ar Eduardo Gomes, Patrono da Força Aérea Brasileira


Tenente Flávia Rocha E Capitão Oliveira Lima

No dia 20 de setembro, celebramos os 124 anos do nascimento do Marechal do Ar Eduardo Gomes, natural de Petrópolis (RJ). Por suas realizações ao longo da carreira, tornou-se digno de ser outorgado Patrono da Força Aérea Brasileira (FAB), em 1984, pela Lei Nº 7.243. Com uma trajetória de vida intensa e repleta de conquistas, marcou a história da FAB.

Um dos seus principais feitos ocorreu na década de 1930. Eduardo Gomes foi um dos precursores do Correio Aéreo Militar, embrião do famoso Correio Aéreo Nacional, uma importante ferramenta de integração do País até os dias de hoje. Anos depois, acompanhou a criação de Bases Aéreas nas Regiões Norte e Nordeste, áreas estratégicas de apoio à aviação durante a Segunda Guerra Mundial. Foi, ainda, candidato a Presidente da República em 1945 e 1950.

Eduardo Gomes foi nomeado Ministro da Aeronáutica por duas vezes: em 1954 e 1965. Ao seu lado, no Rio de Janeiro, estava um fiel assistente: o então Tenente Arnaldo Jorge. Do Quadro de Oficiais de Administração do Corpo de Oficiais da Aeronáutica, o hoje Capitão Arnaldo, com 90 anos, orgulha-se de ter assessorado aquele que, anos depois, tornou-se o Patrono da FAB.

Com 73 anos de Força Aérea, Capitão Arnaldo é um militar que coleciona boas histórias. “Ele gostava de conversar antes de tomar qualquer decisão”, lembra o Capitão Reformado, que também é advogado e pai de quatro filhos. Um deles seguiu os passos do pai e também se tornou um Oficial da Aeronáutica: o Tenente-Coronel Aviador da Reserva Arnaldo Luiz Chan Jorge.

Quando o Gabinete do Ministério foi integralmente transferido do Rio de Janeiro para o Distrito Federal, em 1970, Capitão Arnaldo mudou-se para Brasília, ocupando diferentes cargos e funções, tanto no Ministério quanto no Gabinete do Comando da Aeronáutica, onde presta serviços até hoje. No Ministério da Aeronáutica, foi Chefe da Secretaria do Gabinete do Ministro; Chefe da Subseção de Pessoal Militar da Assessoria de Pessoal do Gabinete do Ministro; Adjunto da Assessoria de Pessoal do Gabinete do Ministro; e, ainda, Oficial de Gabinete.

Ao lado de Eduardo Gomes e de muitos outros Comandantes da Aeronáutica, Capitão Arnaldo também tem uma trajetória marcada pela obstinação em trabalhar continuamente em prol do desenvolvimento da Força, assistindo de perto muitas gerações empenhadas em atuar por uma organização cada vez mais moderna e operacional.

Empreendedor, Eduardo Gomes ajudou a forjar novos horizontes para o nosso país. O exemplo de fibra e arrojo lançou as sementes do CAN, colocando o avião a serviço do desenvolvimento.

Não há como deixar de admirar a figura do insígne Patrono da Aeronáutica e, com o pensamento voltado para os atos de coragem e as decisões que tomou em sua vida, render-lhe um preito de gratidão pelo imenso legado que nos foi transmitido. O CAN continuará sendo o vetor do progresso, da solidariedade e da integração nacional.