05 de Abril, 2021 - 09:09 ( Brasília )

Defesa

Pilotos das Forças Armadas participam de treinamento conjunto


Laylla Santos

Preparo e prontidão: palavras que definem as Forças Armadas. Para atingir esse objetivo, treinamentos constantes são realizados com o intuito de manter as tropas com elevada capacidade de pronta-resposta, sempre em condições de defender a Pátria. Nessa terça-feira (30), Marinha, Exército e Aeronáutica realizaram a manutenção do exercício conjunto para emprego de helicópteros em embarcações da Força Marítima. A atividade ocorreu no Navio-Aeródromo Multipropósito Atlântico (NAM “Atlântico”), fundeado no litoral sul do Rio de Janeiro.

A atividade dá continuidade ao exercício que ocorreu entre 5 e 9 de outubro de 2020. À época, as Forças Singulares realizaram a “Qualificação de Pouso a Bordo”, que capacitou os pilotos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica para pousarem aeronaves de asas rotativas no convés de voo do NAM “Atlântico”. Cinco meses depois, os militares retornam ao navio para novos treinamentos e, assim, manterem-se preparados. Durante a atividade, as aeronaves HM-4 Jaguar, do Exército, e a H-36 Caracal, da Força Aérea, pousaram no navio.

O Comandante do Navio-Aeródromo Multipropósito Atlântico, Capitão de Mar e Guerra Mozart Junqueira Ribeiro, ressaltou a importância da atividade no aprimoramento das ações conjuntas das Forças Armadas. “Essa é uma atividade de manutenção do exercício já realizado, muito importante para incrementar a interoperabilidade da Marinha, do Exército e da Aeronáutica”, disse.

De acordo com o Comandante da aeronave do Exército presente no exercício, o Major de Cavalaria Ricardo Figueredo, o treinamento aumenta a capacidade operativa da Força Terrestre. Ainda segundo o militar, houve evolução em relação ao treinamento que ocorreu no ano passado: “Em 2021, nossa tripulação já conseguiu executar os pousos com menos orientações do instrutor da Marinha que estava presente no helicóptero”, contou.

O piloto da Força Aérea Brasileira, 1º Tenente Aviador Arthur Fernandes Mendes dos Santos, destacou a importância desse tipo de treinamento. “Esse fomento às ações conjuntas demonstra a visão que o Ministério da Defesa possui em relação às Forças Armadas. A interoperabilidade promove uma projeção do poder militar a algo que jamais sonhamos, mas que, hoje, vemos tornar-se realidade”, concluiu.

NAM “Atlântico”

Neste mês de março, o Navio-Aeródromo Multipropósito (NAM) “Atlântico”, maior embarcação em atividade da Marinha, alcançou a marca de 2 mil pousos em seu convés. Com 208 metros de comprimento, 35 de largura e calado (casco abaixo da linha d´água) de 6,5 metros, o Atlântico desloca até 21.578 toneladas. A embarcação possui capacidade para receber mais de 1 mil militares embarcados, além de avançada estrutura.

Durante todo o período do exercício, foram observados os protocolos de combate à Covid-19, tais como: realização de teste em todos que estavam a bordo, utilização de máscara de proteção, disponibilização de álcool 70% e higienização constante das áreas.


VEJA MAIS



ÚLTIMAS

Defesa

MAIS LIDAS