02 de Outubro, 2019 - 11:40 ( Brasília )

Defesa

Ministério da Defesa promove Estágio de Adidos de Defesa de Nações Amigas


Capitão-Tenente Fabrício Costa

O Ministério da Defesa realiza, nesta terça (1º) e quarta-feira (02), o Estágio de Adidos de Defesa de Nações Amigas, nas instalações do MD e no Primeiro Regimento de Cavalaria de Guarda, em Brasília. No total, 37 adidos estrangeiros, distribuídos por 21 países participam do evento.

 

O Coronel Salomão Pereira da Silva, coordenador da Seção de Adidos de Defesa do MD, explicou qual é o propósito do curso. "É fazer com que aqueles militares de nações amigas, recém-chegados ao nosso país, tenham ideia da organização e da estrutura do Ministério da Defesa, bem como dos projetos estratégicos em desenvolvimento no Brasil na atualidade", informou.

Para o Adido de Defesa do Chile no Brasil, Capitão de Mar e Guerra Edgar Rosevedo, o Estágio de Adidos de Defesa de Nações Amigas é um facilitador imprescindível para a melhoria do relacionamento entre o Brasil e os outros países que possuem adidos aqui. "As ferramentas que o curso oferece são fundamentais para desempenharmos o nosso trabalho da melhor maneira possível, representando nossos estados no Brasil".



Coube ao Subchefe de Assuntos Internacionais, do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), Contra-Almirante José Gentile, proferir a palestra de abertura do Estágio de Adidos de Defesa de Nações Amigas, no auditório do Ministério da Defesa, em Brasília. O Almirante falou sobre: a estrutura do MD, as tarefas das Forças Armadas brasileiras e sua base legal, além de ter citado os projetos estratégicos da Defesa.

De acordo com o coordenador da Seção de Adidos de Defesa do MD, Coronel Salomão, o curso é necessário e estratégico. "Conhecendo-os melhor, podemos interagir de forma que essa relação seja a mais produtiva possível. Essa interação entre o Brasil e as nações amigas é fundamental, tanto para adquirirmos quanto para vendermos produtos dessas bases industriais de defesa".

Além disso, o Adido de Defesa do Chile no Brasil, comandante Edgar Rosevedo, destacou que o evento é primordial em dois aspectos. "O curso tem dois objetivos muito importantes. Primeiro, é a possibilidade de conhecer as pessoas que servem no Ministério da Defesa. Segundo, é a certeza de que o Brasil quer compartilhar conhecimento com outros países. Assim, você pode orientar as suas Forças Armadas da melhor maneira possível". 


Fotos: Keven Cobalchini


ÚLTIMAS

Defesa

MAIS LIDAS