COBERTURA ESPECIAL - Cyberwar - Defesa

21 de Maio, 2021 - 08:20 ( Brasília )

Seminário destaca a relevância da defesa cibernética


Nota DefesaNet

Duas semanas após o Ministro da Defesa Braga Neto ter ressaltado a importância de Guerra Eletrônica, em audiência na Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional (CREDEN), na Câmara Federal, tem a oportunidade de realizar a abertura de Seminário voltado ao tema.

Ao responder ao Deputado Federal Marcel van Hatten, questionamento sobre ações de forças russas e venezuelanas na fronteira do Brasil como exposto em matéria de DefesaNet.

Ver as matérias:

Exclusivo – Pela primeira vez Governo Brasileiro confirma russos operando na fronteira Link

Russos e venezuelanos operam na fronteira com Brasil Link

Editor


Mariana Alvarenga
Fotos: Antônio Oliveira
Ministério da Defesa

 

Começou na quarta-feira (19MAIO2021), o Seminário “A Defesa Cibernética e a Guerra do Futuro”. O evento, com enfoque no ensino militar, ocorre de forma mista, tanto presencialmente quanto por videoconferência nas instalações do Comando de Defesa Cibernética (ComDCiber), em Brasília.

Ao abrir os trabalhos, o Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, enalteceu a importância do tema. “Desejo que esse seminário contribua para as discussões e o entendimento da dimensão dessa área, tão fundamental para o desenvolvimento de nossas capacidades de defesa”, disse.

Em seguida, o Comandante da Marinha, Almirante-de-Esquadra Almir Garnier Santos, destacou que "os conflitos do presente são marcados por ações remotas, que paralisam sistemas vitais dos países e trazem transtornos socioeconômicos de grandes dimensões". O evento é fruto da demanda apresentada pelo Almirante Garnier, quando Secretário-Geral do Ministério da Defesa, em virtude da necessidade de se ter um processo holístico e sinérgico de formação continuada dos militares que, com uma visão prospectiva das tecnologias críticas, os preparará para fazer frente aos desafios da guerra do futuro.




Ele reforçou que o tema conflitos cibernéticos exige constante atualização. "A maior importância de manter-se atualizado é que essa guerra é diária para proteger nossos dados e informações, mantendo nossos sistemas de controle funcionando”, advertiu. O Almirante lembrou que a Defesa tem prerrogativa para estabelecer políticas de ensino militar. "A minha intenção era juntar os setores que tratam de tecnologia com os setores que preparem o homem para operar essas tecnologias. Nós buscamos quais capacitações os profissionais necessitam para serem úteis às suas Forças no futuro", explicou.

Assim, durante o seminário a intenção é motivar discussões sobre guerra cibernética e os reflexos nos sistemas de ensino das Forças Armadas. Além disso, contribuir para a cooperação e a integração entre as Escolas de Formação, de Aperfeiçoamento e de Altos Estudos, da Escola Superior de Guerra, das Forças Armadas e dos seus órgãos de direção geral e setorial.

A capacitação destina-se a docentes das Escolas de Formação, Aperfeiçoamento e de Altos Estudos das Forças Armadas e a militares que atuam na área de cibernética e de ensino da Marinha, do Exército, da Aeronáutica e da Escola Superior de Guerra (ESG). Na quarta-feira (19MAIO2021), além das autoridades nominadas acima, prestigiaram o seminário:

- Comandante do Exército, General-de-Exército Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira;
- Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior;
-  Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Tenente-Brigadeiro do Ar Raul Botelho
- Comandante da ESG, Tenente-Brigadeiro do Ar Luis Roberto do Carmo Lourenço;
- Secretário de Produtos de Defesa, Marcos Degaut, e demais autoridades militares e civis.

Sob coordenação do Departamento de Ensino do Ministério da Defesa (DEPENS), a conferência prosseguiu na quinta-feira (20). Na programação, estão previstas palestras sobre inteligência artificial, “big data” e cibernética, dissuasão cibernética, entre outros temas.



VEJA MAIS