COBERTURA ESPECIAL - Brasil - EUA - Aviação

23 de Dezembro, 2021 - 09:00 ( Brasília )

FAB e USAF realizam intercâmbio de experiências em combate aéreo

Os americanos puderam compartilhar sua experiência em combate, adquiridas durante as surtidas no Afeganistão. Em contrapartida, puderam aprender técnicas de sobrevivência e vida na selva

Major Vilela, Tenente Ramos,  Tenente Cristiane E Major Bazilius

O Esquadrão Grifo (2º/3º GAV), localizado na Base Aérea de Porto Velho (BAPV), em Rondônia, sediou um intercâmbio de especialistas (Subject Matter Expert Exchange – SMEE). O evento, que ocorreu de 6 a 16/12, contou com militares do 81st Fighter Squadron, da United States Air Force (USAF), bem como pilotos dos Esquadrões Escorpião (1º/3º GAV), Flecha (3º/3º GAV) e Guias Aéreos Avançados do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS).

A comitiva do 81st Fighter Squadron contou com dois pilotos e dois graduados americanos, bem como um piloto da Força Aérea Brasileira (FAB), que se encontra atualmente em intercâmbio naquela Unidade da USAF.

Com um legado iniciado em 1942, o 81st Fighter Squadron já operou diversas aeronaves, incluindo P-40, P-47, F4, F-16 e A-10, entre outras, além de ter participado de conflitos desde a Segunda Guerra Mundial até os mais recentes, como as Guerras do Kosovo, Iraque e Afeganistão. Atualmente, os pilotos do Esquadrão são qualificados na aeronave A-29 e a Unidade tem como principal missão prover treinamento e assessoramento (Air Advising) para Forças Aéreas de países parceiros, com interações recentes com a Força Aérea Afegã e Nigeriana.

No período de intercâmbio, os militares americanos puderam compartilhar sua experiência em combate adquirida durante as surtidas no Afeganistão, por meio de aulas teóricas e voos de treinamento de Apoio Aéreo Aproximado e Emprego Ar-Solo nos moldes da USAF. Em contrapartida, puderam aprender técnicas de sobrevivência e vida na selva; realizaram as missões no layout utilizado pela FAB; e realizaram voos de combate, nos quais a USAF não utiliza o Super Tucano.

O treinamento combinado entre os militares brasileiros e americanos, na mesma esquadrilha, proporcionou aos pilotos um elevado ganho operacional com a utilização do A-29, como plataforma d’armas em um cenário de conflito simulado. Foram realizadas 18 surtidas, totalizando 28 horas de voo, nas quais se aplicaram, na prática, os fundamentos testados em combate.

Na percepção do Major Aviador Felipe Luis de Oliveira Vilela, Oficial da FAB que está atualmente trabalhando junto ao 81st Fighter Squadron, o intercâmbio foi bastante positivo para todos os envolvidos. "Além dos conhecimentos específicos, mutuamente compartilhados, a atividade permitiu o estreitamento dos laços entre a FAB e a USAF com vistas a novas interações semelhantes no futuro”, disse.

O Comandante do 2º/3º GAV, Tenente-Coronel Aviador Thiago Fernandes Silva, também falou da importância do intercâmbio. “A interação com eles foi de grande valia para a nossa Unidade Aérea, visto que foi possível trocar experiências com pilotos que empregaram o A-29 no Afeganistão. As lições aprendidas poderão ser utilizadas para desenvolvimento de novas táticas, técnicas e procedimentos”, comentou.

Fotos: 2º/3º GAV


VEJA MAIS