COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Argentina - Inteligência

09 de Dezembro, 2019 - 00:30 ( Brasília )

BR-AR: Maia na Argentina sinaliza conflitos futuros

A divisão do governo entre o Presidente Alberto Fernández e Cristina Kirchner não está definida e sinaliza conflitos internos, mas a VP deixou claro que as áreas de Finanças, Segurança e Defesa são suas propriedades


Nelson During
Editor-chefe DefesaNet

O horizonte das relações entre Brasil e Argentina sinalizam tempos conturbados. E ao contrário do que a mídia anuncia não tem no Palácio do Planalto a origem das turbulências.

Na semana anterior da posse, dia 05DEZ2019, o Presidente da Câmara Deputado Rodrigo Maia, aparece em Buenos Aires, com uma missão que ele mesmo se atribuiu. A de intermediário para apaziguar as relações entre o futuro Presidente Alberto Fernandes e Jair Bolsonaro.

O primeiro alerta pode ser avaliado por qual mídia repercutiu e visita de Rodrigo Maia e seus pseudos recados:  

"Brasil tem interesse e precisa da Argentina, afirma Maia em Buenos Aires Valor 05DEZ2019".

Ou até a russa Sputnik:

Por meio de Rodrigo Maia, Alberto Fernández manda recado a Bolsonaro

Vem de Buenos Aires as razões que tornam a visita de Rodrigo Maia a Alberto Fernández uma missão Fake. A Vice-Presidente Cristina Kirchner simplesmente definiu quais as áreas estarão sobre sua influência: Finanças (todos os órgãos que têm maior orçamento e geram movimento expressivos de caixa), Segurança e Defesa.

Na área de Finanças, o chamado Cristinismo simplesmente se adonou da AFIP (similar ao Ministério da Fazenda no Brasil), que será controlado por Mercedes Marcó del Pont. E aqui surge uma figura enigmática, o filho de Cristina, Máximo Kirchner, que será o intermediário com Cristina Krichner. Também sob o controle o Banco Central com Miguel Ángel Pesce. Seguem-se inúmeras outras entidades.

A Organização de jovens peronistas radicais “La Cámpora” retorna em peso. Inclusive controlará a Aerolíneas Argentinas. E certamente retornará ao controle da FAdeA (Fabrica Argentina de Aviones), parceira da EMBRAER no KC-390. A gestão na FAdeA foi desastrosa.

Defesa e Segurança

Se Cristina Kirchner já controla o governo na parte econômica é na Defesa, com Agustín Rossi, já conhecido dos brasileiros e na Segurança com Sabina Frederic, uma antropóloga, que segue a Bolivariana, ex-ministra da Defesa Nilda Garré e a Horacio Verbitsky ideólogo das “Madres de Plaza de Mayo”.

 



Os então Ministros da Defesa Celso Amorim e Agustin Rossi cumprimentam-se no roll-out do KC-390.


Cristina está obcecada com as manifestações sociais, que ocorrem no: Chile, Colômbia e Equador. E a participação das Forças Policiais e Militares na saída do Boliviano Evo Morales do poder. Quer um controle maior sobre as Forças Militares e Policiais. Não será como Nestor Kirchner que berrava no Campo de Mayo, para a tropa formada, que era ele quem mandava.

Por último, Cristina controla a execução da estratégia política do governo através de Wado de Pedro como Ministro do Interior. Também controla importante área de controle de imigração, registro de pessoas e fronteiras.

Alberto Fernández luta por cada segmento de poder que consegue manter.

O Contexto

Neste cenário é claro que a visita de Rodrigo Maia e a delegação brasileira integrada por:


- Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), líder da maioria;
- Paulo Pimenta (PT-RS), líder do PT;
- Baleia Rossi (MDB-SP), líder do MDB;
- Elmar Nascimento (DEM-BA), líder dos Democratas;
- Orlando Silva (PCdoB-SP);
- Sérgio França Danese, embaixador do Brasil na Argentina,,e,
- Marcelo Dantas, assessor de Relações Internacionais de Maia.

 

Hora é evidente que o poder real não estará no gabinete do Presidente mas da Vice-Presidente e sua família. Assim a presença dos dois deputados de esquerda escolhidos a dedo são significativos.

Como Cristina controlará as Forças Armadas e as de Segurança em moldes Bolivarianos, e retorna com a La Campora, nada mais expressiva do que a presença de Paulo Pimenta na delegação, que é contumaz visitante no Palácio Miraflores (Caracas). Junto a ligação de Maia, com a extrema esquerda, da qual é fiel operador, na pessoa do deputado representando o PC do B.

Os demais como Aguinaldo  Ribeiro, Baleia Rossi e Elmar Nascimento nada mais foram que figurantes. (ou podemos dizer jocosamente o que os comunistas chamam aos que são usados em suas artimanhas)

É evidente que o Palácio do Planalto tem a informação de que Maia manteve uma reunião secreta com emissários de Cristina Kirchner. Talvez também com seu filho Máximo Krichner, que será realmente o 01, da Argentina E o que mais, os seus dois articulistas, arranjaram com a esquerda argentina?

O presidente da Câmara Federal, usurpando de sua função, procura estabelecer laços secretos com a esquerda radical argentina. Quais os impactos?

A história passada de Rodrigo Maia indica que tempos turbulentos são agendados pelo Presidente da Câmara Federal para o cenário político nacional.


Assim como procurou tumultuar o cenário brasileiro para ajudar os seus aliados continentais. Recomendamos a leitura:

Exclusivo – A Guerra Híbrida Chegou ao Planalto Central
Os acontecimentos do dia 24 de Maio 2017 foram a estreia de ações características de Guerra Híbrida no espectro Político Nacional Link


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


PF-PRF

PF-PRF

Última atualização 14 AGO, 10:30

MAIS LIDAS

Brasil - Argentina