COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Alemanha - Terrestre

28 de Fevereiro, 2022 - 19:20 ( Brasília )

KMW - Nosso produto mais importante é a munição

A entrevista do CEO da Rheinmetall Armin Papperger, horas depois do anúncio do chanceler Olaf Scholz de um pacote de 100 Bilhões de euros para a Bundeswehr

Nota DefesaNet

Em ação imediata após o pronunciamento do Chanceler Olaf Scholz no Bundestag criando um fundo de 100 Bilhõoes de euros para aa modernização da Bundeswehr.

O editor



Markus Voss
FOCUS Online
28 Fevereiro 2022


Após o anúncio de um pacote de 100 bilhões de euros para a Bundeswehr, a Rheinmetall está pressionando por decisões rápidas. Temos a capacidade de entregar, diz Armin Papperger, chefe do grupo de armamentos de Düsseldorf. E a empresa também gostaria de poder entregar armas para a Ucrânia.

FOCUS Online: O chanceler Olaf Scholz quer criar um fundo especial no valor de 100 bilhões de euros para reorganizar e equipar melhor a Bundeswehr. Qual é a sua reação a isso?

Armin Papperger: Esse é absolutamente o caminho certo, vamos apoiá-lo. As coisas estão se movendo rápido nos dias de hoje, isso me dá esperança.

FOCUS Online: A indústria de armamentos alemã não foi exatamente cortejada nos últimos anos. Os políticos se distanciaram das empresas do seu setor.

Papperger: Servimos a Alemanha e a OTAN - não importa se somos cortejados. Sempre soubemos que éramos uma indústria importante, mesmo que muitas pessoas nos dissessem que não éramos. A Alemanha pode ter se distanciado algumas vezes, mas não outros países. Temos muitos parceiros no mundo, por exemplo, na Austrália e na Inglaterra . Nós construímos capacidades lá, das quais a Alemanha agora também se beneficiará.


 

Carro de combate Leopard 2
O canhão e munição do CC Leopard são da Rheinmetall
A estrutura é da KMW



FOCUS Online: A Bundeswehr está salva há anos, costuma-se dizer. No entanto, o orçamento anual de defesa em 2021 já era de cerca de 46,9 bilhões de euros. Isto é muito dinheiro. Por que o dinheiro não parece ir para os lugares certos? E isso ajuda em tudo para completar a soma?

Papperger: É muito importante que agora adaptemos os processos na Bundeswehr. As decisões de aprovação, ou seja, a liberação de material, tem que mudar e temos que desburocratizar. A meu ver, o Ministério está trabalhando nisso a todo vapor.

FOCUS Online: O que exatamente precisa mudar?

Papperger:
A aquisição geralmente leva muito tempo. Às vezes, existem 25 processos de aprovação para munição de tanque. Podemos ser muito mais rápidos lá. Um exemplo: Munições que já foram qualificadas para o mesmo tipo de arma na Holanda não precisam ser aprovadas novamente na Alemanha. Outro exemplo é o tanque TÜV: Um tanque tem que ir para o TÜV alemão todos os anos. Isso pode ser viável em tempos de paz, mas não quando o tanque é urgentemente necessário em uma missão. Esse período pode ser estendido para dois ou três anos.

FOCUS Online: De quais armas a Bundeswehr precisa em termos concretos? Ou a demanda na terra, na água e no ar é a mesma?

Papperger: Na minha opinião, os sistemas terrestres são atualmente os mais mal posicionados.

FOCUS Online: Esta afirmação não é surpreendente. Sua empresa fornece apenas sistemas terrestres.

Papperger: Mas posso vinculá-lo a exemplos muito específicos. Com o estoque de munição, nosso exército (Bundeswehr) só poderia resistir por alguns dias em caso de defesa. Infelizmente, é verdade: a Bundeswehr não está de forma alguma pronta para a ação, e a defesa nacional não funcionará com o material disponível. Fornecemos munições para metralhadoras, canhões de tanques e artilharia. Costumávamos produzir 250.000 desses por ano para as forças armadas alemãs - agora são 20.000 a 30.000 por ano, ou seja, um décimo.

FOCUS Online: Quão rápido você poderia entregar?

Papperger: Atualmente elaboramos listas para o ministério do que estaria disponível em curto prazo. Nós da Rheinmetall poderíamos entregar equipamentos no valor de 42 bilhões de euros em pouco tempo. Nossas fábricas de munição e blindados têm capacidade para isso. Podemos entregar veículos logísticos em 12 meses, veículos blindados de rodas em 18 meses e veículos com lagartas em 24 meses. O curso teria que ser definido rapidamente agora para que a aquisição de materiais possa começar.

FOCUS Online: Você tem tudo em estoque?

Papperger: Nós temos as plantas para isso: na Hungria, Austrália, Inglaterra e também no Canadá , EUA e, claro, nossas plantas alemãs. Portanto, há capacidade suficiente. O que ainda falta é capacidade de pólvora e capacidade explosiva. Mas nossos amigos na Hungria já tomaram medidas.

FOCUS Online: Seus amigos na Hungria?

Papperger: O governo de lá vai montar uma grande produção de explosivos. Os planos estão atrasados.

FOCUS Online: E os parceiros na Europa Ocidental? O chanceler Scholz disse que o novo dispositivo deve ser desenvolvido em estreita cooperação com a França . Você cooperará com seu concorrente Thales, por exemplo?
 
Papperger: Esses planos existem há muito tempo, já estamos envolvidos. Mas esses veículos de combate, que deveriam ser desenvolvidos lá, virão mais tarde. São decisões estratégicas de longo prazo


 

Blindado de Combate de Infantaria Puma
A Rheinmetall paarticipa do consórcio com a empresa KMW


FOCUS Online: Qual produto do seu arsenal você acha que é o mais importante para a Bundeswehr?

Papperger: Definitivamente a munição. E o governo deve ordenar a segunda parcela de tanques Puma. Depois vieram os veículos de rodas, com a substituição da frota Fuchs pelo veículo de combate de infantaria Boxer. E atualmente temos apenas 225 Carros de Combate Leopard 2.

FOCUS Online: O que você está realmente fazendo quando outros países estão perguntando a você. Quem você acertou primeiro?

Papperger: Vamos desenvolver capacidades e tratar todos os parceiros igualmente.

FOCUS Online: Você também forneceria a Ucrânia? Houve alguma consulta?
 
Papperger: Sim, a Ucrânia já perguntou. O pedido está sendo analisado pelo governo federal. Na situação atual só posso dizer: Queremos ajudá-los.

FOCO Online: Quando a demanda aumenta, os preços costumam subir. A atualização noturna agora é significativamente mais cara do que um plano de longo prazo para uma atualização?

Papperger: Se devemos produzir mais rápido, as sobretaxas de velocidade naturalmente custam dinheiro. Caso contrário, vamos pedir preços muito justos. Nós administramos um negócio de longo prazo. Planejamos em décadas.



 

Blindado Boxe adotado pela Alemanha, Austrália e Reino Unido


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


US RU OTAN

US RU OTAN

Última atualização 04 JUL, 11:00

MAIS LIDAS

Brasil - Alemanha