COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Defesa

13 de Junho, 2022 - 17:00 ( Brasília )

EMBRAPII BNDES destinam R$ 20 milhões para inovação na indústria da defesa

Anúncio ocorre em evento que reúne pesquisadores e representantes do setor para discutir oportunidades de desenvolvimento de PD&I

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) lançam parceria voltada às empresas da Base Industrial da Defesa que desejam a inovar. O anúncio ocorre, na próxima terça-feira (14), no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP), em evento que reúne representantes do governo, pesquisadores e setor industrial para debater os desafios e oportunidade na Defesa.

São R$ 20 milhões não reembolsáveis reservados para desenvolvimento de inovações da BID. Os recursos podem ser usados para financiar até 50% de projetos de PD&I das empresas nas mais diversas áreas, entre elas, logística, materiais avançados e Tecnologia da Comunicação e Informação (TICs).

A proposta é investir em tecnologias que estejam vinculadas ao Plano de Articulação e de Equipamento de Defesa (PAED), bem como projetos que visem desenvolver tecnologias de programas de offset (que são os acordos de compensação comercial, tecnológica e industrial).

A EMBRAPII possui uma rede de 76 Unidades EMBRAPII - ICTs credenciadas com infraestrutura de ponta e pesquisadores qualificados para apoiar a indústria a superar seus desafios tecnológicos.

No evento, vai promover uma rodada de negócios entre pesquisadores das Unidades EMBRAPII e empresas da Base Industrial da Defesa (BID). As Unidades EMBRAPII terão a oportunidade de apresentar as suas ofertas de trabalho e pesquisa e, as empresas, suas demandas.

A EMBRAPII, em apenas sete anos, já apoiou 14 empresas, encampando 49 projetos que somam mais de R$ 128 milhões em investimentos em inovações na área de defesa. O aporte de recursos do contrato do BNDES provém do BNDES Funtec - Fundo Tecnológico, cujo objetivo é reforçar e ampliar as oportunidades de fortalecimento das atividades de PD&I do setor industrial no País.

Conheça alguns projetos EMBRAPII na Defesa

Satélite 100% nacional

A EMBRAPII apoiou o desenvolvimento do primeiro satélite desenvolvido integralmente pela indústria brasileira, uma parceria entre a Unidade EMBRAPII Instituto Senai de Inovação (ISI) em Sistemas Embarcados e a empresa Visiona Tecnologia Espacial.

Com peso de 10 kg, o nanossatélite permite o desenvolvimento e a validação de tecnologias espaciais, como sistemas de supervisão de bordo e de rádio definido por software, considerados hoje como as principais lacunas tecnológicas da indústria espacial brasileira.

O projeto-piloto servirá para adquirir conhecimento para o desenvolvimento de satélites comerciais.

Sistema de Alta Confiabilidade

A EMBRAER, em conjunto com a Unidade EMBRAPII Fundação CERTI e com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), executou um projeto inédito no país: o desenvolvimento de sistemas de alta confiabilidade.

O protótipo resultante integra diversos componentes de sistemas da aeronave, controlando e monitorando em tempo real o transporte.

O sistema ainda desempenha funções críticas ao cumprimento da missão, que pode ser desde o transporte de passageiros ou cargas, até o combate a incêndios, uso humanitário e militar.

Mira Rápida

A Unidade EMBRAPII ISI Polímeros e a empresa AEL Sistemas desenvolveram um protótipo de uma mira ótica que que resultou no desenvolvimento de sistema eletro-óptico reflexivo, que possibilita ao usuário manter ambos os olhos abertos enquanto realiza a pontaria.

O sistema é resistente às condições ambientais severas tais como choque, vibração, temperaturas extremas, maresia, umidade e poeira.

Sobre a Indústria da Defesa

Considerada área estratégica para a segurança nacional, a indústria da defesa envolve tecnologias diversas aplicáveis às áreas de defesa biológica, nuclear, química, radiológica e novos materiais.

Tradicionalmente, toda nova solução do setor pode ir além e contribuir para áreas correlatas como, por exemplo, o desenvolvimento de sensores e equipamentos específicos para guiamento; materiais de alta densidade energética para propelentes e explosivos; inteligência artificial e tecnologias quânticas para emprego em defesa cibernética; radares e sensores, com suas respectivas tecnologias de processamento e de análise; proteção balística, camuflagem multiespectral, tecnologia de furtividade e blindagem eletromagnética; além de desenvolvimento de atuador nacional de alto desempenho.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 12 AGO, 11:45

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa