22 de Fevereiro, 2021 - 11:55 ( Brasília )

Aviação

Após falha de motor, empresas interrompem uso do Boeing 777 nos EUA e Japão


A fabricante americana de aviões Boeing recomendou a suspensão de todas as aeronaves 777 com o mesmo tipo de motor que sofreu avarias e espalhou destroços sobre Denver no sábado (20/2).

A Boeing disse que 128 jatos devem ser suspensos até que inspeções sejam realizadas.

A United Airlines e as duas principais operadoras do Japão já pararam de usar 56 aviões com o mesmo motor.
 

O voo 328, transportando 231 passageiros, foi forçado a fazer um pouso de emergência no aeroporto de Denver. Ninguém ficou ferido.

"Enquanto a investigação está em andamento, recomendamos suspender as operações das 69 aeronaves 777 em serviço e 59 em armazenamento, equipadas com motores Pratt & Whitney 4000-112", disse a empresa em um comunicado.

A Pratt & Whitney disse que enviou uma equipe para trabalhar com os investigadores.

De acordo com a Federal Aviation Administration (FAA), a United é a única companhia aérea dos Estados Unidos voando com este modelo de 777, com as demais no Japão e na Coreia do Sul.

A Korean Air, que tem seis aviões em operação e 10 em armazenamento, disse que estava aguardando instruções dos reguladores sul-coreanos sobre medidas para seus jatos 777.

O voo 328 da United, com destino a Honolulu, sofreu uma falha no motor do lado direito. Destroços do jato foram encontrados espalhados em uma área residencial próxima depois que ele retornou ao aeroporto de Denver.

A agência ordenou inspeções extras de jatos Boeing 777 equipados com o motor Pratt & Whitney 4000 após o incidente. "Revisamos todos os dados de segurança disponíveis após o incidente [de sábado]", disse o administrador da FAA Steve Dickson em um comunicado.

"Com base nas informações iniciais, concluímos que o intervalo de inspeção deve ser aumentado para as pás ocas do ventilador, exclusivas deste modelo de motor, utilizado exclusivamente nos aviões Boeing 777".

A FAA se reuniu com representantes da empresa de motores e da Boeing na noite de domingo.

A descoberta inicial do National Transportation Safety Board (NTSB) é que a maioria dos danos ocorreu no motor onde duas pás do ventilador foram quebradas e outras pás também foram impactadas. O corpo principal do avião sofreu apenas pequenos danos.

A falha do motor é outro golpe para a Boeing depois que sua aeronave 737 Max ficou parada por 18 meses após dois acidentes de aviação que deixaram 346 mortos.

 

 

'Tremendo violentamente'

Os passageiros a bordo do voo de Denver descreveram uma "grande explosão" logo após a decolagem.

"O avião começou a tremer violentamente, perdemos altitude e começamos a descer", disse David Delucia. Ele acrescentou que ele e sua esposa colocaram suas carteiras nos bolsos para que "caso caíssemos, pudéssemos ser identificados".

A polícia da cidade de Broomfield postou fotos do que parecia ser a frente de uma caixa de motor no jardim da frente de uma casa. Outros fragmentos foram vistos pela cidade, inclusive em um campo de futebol.

Ninguém ficou ferido pelos destroços que caíram. 


No Japão, todos os 777s com motores modelo Pratt & Whitney 4000 devem evitar seu espaço aéreo até novo aviso. Isso inclui decolagens, pousos e voos em todo o país.

O governo local também ordenou que as companhias aéreas JAL e ANA suspendessem o uso de seus 777s com o mesmo modelo de motor.

Em dezembro passado, um voo da JAL foi forçado a retornar ao aeroporto de Naha devido a um problema no motor esquerdo.

Em 2018, o motor direito de um avião da United Airlines quebrou pouco antes de pousar em Honolulu. Após uma investigação, o NTSB disse que o incidente foi causado por uma fratura de lâmina de ventilador de comprimento total.

 

 

 

Suspensão de viagens com Boeing 777¹

O Boeing 777 é uma das mais icônicas aeronaves da Boeing, sendo capaz de fazer voos intercontinentais sem escalas com muito conforto e tecnologia.

Entretanto, dezenas desses jatos comerciais estão no chão nos últimos dias após uma falha grave que aconteceu na cidade de Denver, no estado do Colorado (EUA).

Segundo informações obtidas pelo The Wall Street Journal, a aeronave que faria o voo 328 da United Airlines, com destino a cidade de Honolulu, no Havaí, teve uma grave falha em seu motor Pratt & Whitney PW4000, com duas pás das turbinas apresentando fissuras extremamente perigosas para seu funcionamento.

Após o ocorrido, a própria United Airlines e mais duas companhias aéreas do Japão interromperam o uso do avião até que uma investigação mais detalhada mostre as soluções.

Ao todo são 24 aeronaves da United, 14 da Japan Airlines e 19 da All Nippon Airways, que possuem os modelos de Boeing 777 que estão equipados justamente com os motores Pratt & Whitney. Essa recomendação foi feita pelo FAA (Federal Aviation Administration) e pela própria Boeing. Ambas já iniciaram as averiguações técnicas.

“Revisamos todos os dados de segurança disponíveis após o incidente de ontem. Com base nas informações iniciais, concluímos que o intervalo de inspeção deve ser aumentado para as pás ocas da ventoinha, exclusivas deste modelo de motor, utilizado exclusivamente nos aviões Boeing 777", disse Steve Dickson, gerente da FAA, em um comunicado.

O incidente com o Boeing 777 da United não teve feridos ou maiores complicações para retornar a Denver, uma vez que os sistemas do avião detectaram a falha logo após a decolagem.

¹com Canaltech via Yahoo Notícias