COBERTURA ESPECIAL - Aviação do Exército - Terrestre

04 de Agosto, 2020 - 10:10 ( Brasília )

3º Batalhão de Aviação do Exército auxilia combate a incêndios em áreas de preservação de Mato Grosso do Sul


O Ministério da Defesa (MD) atendeu à solicitação recebida do Governador de Mato Grosso do Sul, que decretou estado de emergência no combate ao incêndio no Pantanal. Para a execução da Operação Pantanal, o MD estabeleceu um centro de coordenação no Comando do 6º Distrito Naval, na cidade de Ladário (MS).

A operação reúne esforços do Exército Brasileiro (EB), da Marinha do Brasil (MB), da Força Aérea Brasileira (FAB), do Corpo de Bombeiros de MS, da Polícia Militar Ambiental e do Ibama/Prevfogo. O Exército está empregando uma aeronave HM-1 Pantera, do 3º Batalhão de Aviação do Exército (3º BAvEx), organização militar subordinada ao Comando Militar do Oeste, que está sendo usada no transporte de pessoal e no reconhecimento e levantamento dos pontos de incêndio no Pantanal.

As ações de apoio contam com mais de 320 profissionais, entre militares, brigadistas e civis, e com o emprego de cinco aeronaves: Super Cougar (UH-15) e Esquilo (UH-12), da MB; Pantera (HM-1), do EB; Blackhalk (H60) e Hércules (C-130), da FAB. As aeronaves são empregadas em voos de reconhecimento, transporte de militares/brigadistas e lançamentos de água.

De janeiro a julho, as queimadas já consumiram cerca de 780 mil hectares na região do Pantanal. Somente nesse mês de julho, mais de 180 mil hectares foram devastados pelo fogo, o que mantém o município de Corumbá na liderança dos focos de calor em Mato Grosso do Sul.

Salvamento

No dia 31 julho, em meio à Operação Pantanal, a aeronave do 3º BAvEx resgatou um homem de 54 anos, que apresentava inchaço nas pernas e havia sido picado, na noite anterior, por uma cobra jararaca. O deslocamento foi feito com o acompanhamento de um médico do Hospital Naval de Ladário (HNLa) e, na chegada ao heliponto do EsqdHU-61, uma ambulância do Corpo de Bombeiros seguiu com o paciente para a Santa Casa de Corumbá.


VEJA MAIS