COBERTURA ESPECIAL - Africa - Naval

23 de Outubro, 2020 - 10:30 ( Brasília )

Navio-Patrulha Oceânico “Apa” participa da Operação “Grand African Nemo 2020”


O Navio-Patrulha Oceânico (NPaOcApa) “Apa”, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Sudeste, participou da Operação “Grand African Nemo 2020”, no período de 5 a 9 de outubro, no Golfo da Guiné.

A operação tem o propósito de treinar as Marinhas dos países da África Ocidental e dos países participantes para incrementar a segurança marítima no Golfo da Guiné, por meio de adestramentos e exercícios de combate aos ilícitos marítimos.

A edição de 2020, apesar das restrições impostas pela Covid-19, contou com a participação das Marinhas da França, Estados Unidos da América, Itália e Brasil, além das Marinhas dos países do continente africano: Senegal, Guiné, Togo, Benin, Nigéria, Gabão, Congo e República Democrática do Congo.

O NpaOc “Apa” realizou exercícios no mar com os Navios-Patrulha “Kedougou”, “Anambe” e “Soungrougrou”, e com o Destacamento de Operações Especiais da Marinha Nacional do Senegal. Foram simulados cenários operativos que visavam à repressão ao tráfico de drogas e à pirataria, bem como à proteção de plataformas petrolíferas.



Também foram conduzidos os procedimentos de interrogação, interceptação e acompanhamento de embarcações suspeitas, além da aproximação e abordagem do grupo de visita e inspeção dos navios de ambos os países.

Em proveito à presença da aeronave “Falcon 50”, da Marinha francesa, foi realizado, ainda, o exercício de trânsito sob ameaça aérea com o NpaOc “Apa”, com o objetivo de adestrar as equipes de bordo durante as aproximações de ataque da aeronave.

A “Grand African Nemo” e a “Obangame Express” são as duas operações multilaterais realizadas anualmente no Golfo da Guiné que contam com a presença da Marinha do Brasil.

A participação brasileira, além de incrementar a interoperabilidade entre as Marinhas, reforça os laços de amizade com os países da costa ocidental africana, contribuindo para a segurança marítima da região e, sobretudo, fortalecendo a Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul, de modo a consolidar o Brasil como ator regional relevante e influente em nosso entorno estratégico.


VEJA MAIS