COBERTURA ESPECIAL - Mão Amiga - Defesa

28 de Agosto, 2020 - 10:10 ( Brasília )

Operação Pantanal já reduziu 72% dos focos de incêndios na região mato-grossense


Tenente Fraga E Tenente Juliana (ComSoc 6°DN)

Empregadas há 30 dias na Operação Pantanal, que começou em Mato Grosso do Sul, as Forças Armadas têm contribuído, de forma significativa, para os resultados positivos no combate aos focos de queimadas na porção mato-grossense. Em Mato Grosso, a força-tarefa começou no dia 7 de agosto e reúne esforços de mais de 300 profissionais das Forças Armadas, Corpo de Bombeiros Militar de MT e MS, Secretaria de Estado de Segurança Pública, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Sesc Pantanal.

Os focos de incêndio na região, que estavam concentrados em Poconé, Barão de Melgaço (MT), e uma área em Porto Jofre, já tiveram redução de 72%, conforme relatório emitido em 23 de agosto pelo Corpo de Bombeiros de Mato Grosso. Os focos na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Sesc Pantanal, uma das áreas mais afetadas, diminuíram em 97%. Com isso, as equipes de brigadistas, bombeiros militares e fuzileiros navais estão trabalhando nos focos próximos à Transpantaneira.

As atividades de transporte de pessoal, material e reconhecimento de áreas seguem sendo cumpridas pelo Super Cougar (UH-15) da MB e pelo Black Hawk (UH-60) da FAB, devido à peculiaridade da região. As aeronaves do CBMMT já despejaram, até o momento, mais de cinco milhões de litros de água.

Operação Pantanal

As Forças Armadas atuam, desde o dia 25 de julho, no combate a incêndio no Pantanal sul-mato-grossense. No dia 5 de agosto, as ações foram estendidas ao Pantanal mato-grossense. O Ministério da Defesa atende à solicitação recebida pelos dois estados.

O Centro de Coordenação da Operação está instalado no aeródromo do Sesc Pantanal, em Poconé (MT), ponto estratégico para o emprego dos meios. Participam da operação embarcações e helicópteros da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de Fuzileiros Navais com curso em incêndio florestal.