COBERTURA ESPECIAL - 07SET2021 - Defesa

08 de Setembro, 2021 - 10:00 ( Brasília )

Cerimônia dos 199 anos da Independência do Brasil é realizada na Capital Federal

Solenidade ocorreu na manhã desta terça-feira (07/09), no Palácio da Alvorada, em Brasília (DF)

Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha E Major Bazilius

A cerimônia do 199º aniversário da Independência do Brasil foi celebrada nesta terça-feira (07), em Brasília (DF). Realizada na frente do Palácio da Alvorada, residência oficial do Presidente da República, a solenidade iniciou com a autorização do Presidente Jair Messias Bolsonaro, que estava acompanhado de autoridades civis e militares, dentre elas, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior.

O evento contou com a presença de militares da Marinha do Brasil (MB), do Exército Brasileiro (EB) e da Força Aérea Brasileira (FAB).

Durante a cerimônia, houve uma demonstração de salto livre de paraquedistas do Exército Brasileiro, que saltaram de uma aeronave C-105 Amazonas da FAB e aterrissaram no gramado com a Bandeira do Brasil. Em seguida, o Pavilhão Nacional foi hasteado ao som do Hino Nacional e do Hino da Independência, executados pela Banda de Música do Batalhão da Guarda Presidencial. Durante a execução, foi realizada a salva de gala com 21 tiros de canhão.

Na ocasião, ocorreu também uma demonstração operativa da Marinha do Brasil com o destacamento do Grupamento de Mergulhadores de Combate, dos Fuzileiros Navais da Força de Fuzileiros da Esquadra e do Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília.

Esquadrilha da Fumaça

Quem compareceu ao evento, que teve público reduzido, pôde acompanhar, ainda, uma apresentação do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) – a Esquadrilha da Fumaça – que fez uma demonstração repleta de manobras e acrobacias. No céu da Capital Federal, a três mil metros do solo, as aeronaves A-29 Super Tucano, em formação “linha de frente”, realizaram a famosa escrita com fumaça em comemoração ao Dia da Independência: “Ordem e Progresso”, arrancando aplausos e atraindo os olhares do público de alguns pontos da cidade próximos ao Palácio da Alvorada.

O Chefe da Seção de Operações do EDA, Tenente-Coronel Aviador Daniel Garcia Pereira, comentou sobre o sentimento patriótico evocado pela Esquadrilha da Fumaça no Dia 7 de Setembro. "É uma satisfação fazer parte das comemorações do Dia da Independência, que já é um evento tradicional em Brasília. Para nós é um motivo de muito orgulho", destacou.

Solenidade cívica de Hasteamento da Bandeira marca o Dia da Independência¹

Em manhã ensolarada e quente na capital federal, o Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, prestigiou, ao lado do Presidente da República, Jair Bolsonaro, a cerimônia em comemoração ao 199º aniversário da Independência do Brasil.

A solenidade cívica de Hasteamento da Bandeira ocorreu na Praça das Bandeiras, no Palácio da Alvorada, nesta terça-feira (07). O evento, mais restrito em decorrência da pandemia provocada pelo novo coronavírus, sem o desfile tradicional na Esplanada dos Ministérios, contou com a presença de ministros e demais autoridades civis e militares.



Acompanhado por crianças, o Presidente Bolsonaro chegou ao local da cerimônia no Rolls-Royce conversível, dirigido pelo tricampeão da Fórmula 1 Nélson Piquet e escoltado pelos Dragões da Independência. Antes de seguir até o palco montado em frente ao Palácio da Alvorada, acenou para o público que prestigiava o evento. Ele estava acompanhado da Primeira-Dama Michele Bolsonaro.



Em seguida, 18 paraquedistas do Exército saltaram de uma aeronave C-105 Amazonas, da Força Aérea Brasileira, aterrando no gramado em frente ao Alvorada. O grupo era composto por integrantes da equipe de Salto Livre da Brigada de Infantaria Paraquedista e do Comando de Operações Especiais. Entre eles, a Sargento Sabrina de Jesus Almeida portava a bandeira nacional, que entregou ao Presidente da República.

O hasteamento do Pavilhão Nacional ocorreu, simultaneamente, com a execução do Hino Nacional e uma salva de 21 tiros de canhão. Logo depois, foi tocado o Hino da Independência. Ambos foram interpretados por músicos da Banda da Guarda Presidencial, que trajavam uniformes históricos.

A cerca de 3 mil metros do solo, aviões do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira, conhecidos como Esquadrilha da Fumaça, entraram em cena ao escrever com fumaça “Ordem e Progresso” no céu limpo de Brasília.

Ao encerrar a solenidade, militares demonstraram a descida de um helicóptero com o auxílio de cordas, procedimento denominado “fast hope”. Eles interpretaram situação fictícia de retirada de um artefato suspeito do terreno, em conjunto com integrantes do Grupamento de Mergulhadores de Combate da Marinha.

No mesmo cenário simulado, os Fuzileiros Navais, empregando os Carros Lagarta Anfíbios da Marinha do Brasil, realizaram uma demonstração operativa, saindo do Lago Paranoá e deslocando-se para o local da demonstração na cerimônia. A simulação da ação ao objetivo é rápida e precisa, visando evitar os danos colaterais.

Após o fim da solenidade, houve a tradicional apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Aeronaves modelo A-29 sobrevoaram o céu de Brasília num espetáculo de alta performance com acrobacias ousadas. “A Esquadrilha da Fumaça tem como missão divulgar a Força Aérea Brasileira”, enfatizou o narrador ao iniciar a exibição das aeronaves.

Demonstrações operativas e exposição marcam cerimônia pelo Dia da Independência²

Uma cerimônia restrita a autoridades e convidados, neste 7 de setembro, no Palácio da Alvorada, deu início às comemorações pelo 199º aniversário da Independência do Brasil. Além do cerimonial à Bandeira Nacional, o roteiro incluiu demonstrações operativas e exposição de meios militares e de órgãos públicos do Distrito Federal.

O Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, desfilou no Rolls-Royce presidencial até o mastro em frente ao Palácio, onde assistiu, junto ao público, aos militares da equipe de salto livre da Brigada de Infantaria “Os Cometas” saltarem da aeronave C-105 Amazonas, da Força Aérea Brasileira (FAB).

Em sequência, todos acompanharam o hasteamento do Pavilhão Nacional, com a execução do Hino brasileiro e do Hino da Independência. Uma formatura de pelotões das Forças Armadas participou do cerimonial, que prosseguiu com a salva de 21 tiros de canhão.

O evento continuou, com a demonstração operativa da Marinha, unindo ações de fuzileiros navais e de mergulhadores de combate, que simularam uma infiltração para recuperar artefato de interesse nacional. Os militares realizaram a descida do helicóptero UH-15 “Super Cougar”, usando a técnica fast rope, resgataram o objeto e se retiraram em Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf).

Uma exibição de acrobacias da Esquadrilha da Fumaça encerrou a comemoração. A Marinha também participou de exposição de meios operativos, com blindados do Corpo de Fuzileiros Navais e embarcação da Capitania Fluvial de Brasília, usada em patrulhas nas águas interiores.

A exibição contou, ainda, com helicóptero da Força Aérea e carros do Exército, além de viaturas da Polícia Rodoviária Federal e do Corpo de Bombeiros Militar.

¹Por Lane Barreto - CCOMSOD, ²Centro de Comunicação Social da Marinha - Fotos: Antônio Oliveira

VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Pandemic War

Pandemic War

Última atualização 18 JAN, 21:40

MAIS LIDAS

07SET2021