COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

08 de Julho, 2016 - 09:10 ( Brasília )

TOA - 'Criação da brigada reflete importância do Amapá', diz comandante do Exército

General Villas Bôas fez visita à obra da Brigada Foz do Amazonas. Comandante do Exército Brasileiro está cumprindo agenda em Macapá.

Fabiana Figueiredo
 

As obras da Brigada Foz do Amazonas, em Macapá, receberam a visita do comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, nesta quinta-feira (7). A previsão é que o complexo que vai ampliar a atuação militar na fronteira ao Norte do país seja entregue em 2017.

O comandante da força armada veio ao Amapá acompanhar a construção da brigada em uma área pertencente ao 34º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), no bairro Alvorada, na Zona Oeste da capital, e definir o prazo de inauguração da primeira etapa da obra.

O complexo vai abrigar o corpo da guarda, pavilhão de comando, companhia de comando, além de blocos de alojamento. O projeto está orçado em R$ 18 milhões em recursos do próprio Exército. “A criação da brigada é um reflexo da importância que o exército atribui a essa região.

O Amapá é um estado que tem no seu futuro, em função da sua geopolítica, uma importância crescente. A brigada se projeta sobre o oceano atlântico, a vizinhança com a Guiana Francesa e nós precisamos adensar nossa presença aqui. Em razão disso, estamos transferindo o comando de brigada, intensificando ainda mais a nossa presença”, comentou Villas Bôas.

O 34º BIS será uma das unidades subordinadas à Brigada da Foz, assim como o 2º BIS, em Belém, no Pará, e o 24º Batalhão de Infantaria Leve (BIL), de São Luís, no Maranhão. De acordo com o Comando Militar do Norte (CMN) do Exército Brasileiro, o complexo operacional e administrativo vai abrigar até 3 mil militares.

A obra também vai oportunizar o crescimento no número de jovens que serão convocados para o Exército. Anualmente, a unidade amapaense contabiliza mais de 8 mil alistamentos. Desses, 200 são selecionados.