COBERTURA ESPECIAL - TOA - Aviação

30 de Junho, 2016 - 10:30 ( Brasília )

A importância da realização do CABAS para tripulantes de aeronaves

Curso é oportunidade de conhecer fauna, flora, relevo, climatologia e especificidades da região amazônica

O 24° Curso de Adaptação Básica ao Ambiente de Selva (CABAS), que teve início no dia 16 de junho e vai até quinta-feira (30/06), tem como principal público-alvo tripulantes de aeronaves tanto da Força Aérea Brasileira (FAB) quanto de outras instituições. Os esquadrões da maioria dos militares que participam desta edição do CABAS estão localizados no Pará e no Amazonas de onde eles partem para diversas missões em toda a região amazônica.

E por que é importante que eles participem do curso de sobrevivência na selva? A Amazônia possui um clima instável e dimensões continentais. Os militares se deslocam para locais remotos em atividades como evacuação aeromédica, defesa de fronteira, apoio logístico ao Exército, entre outras.

Um exemplo de sinistro que pode ocorrer com esses tripulantes aconteceu em 2009. Na época, um avião C-98 Caravan sofreu uma pane de motor e fez um pouso forçado em um igarapé. Os nove sobreviventes, três militares e seis civis, passaram mais de 24 horas na selva até serem localizados e resgatados.

Como forma de capacitar o militar para essas situações, o CABAS tem a duração de duas semanas, com cerca de 300 horas aulas divididas em mais de 30 instruções, como sinalização para socorro, como fazer fogo e obter água, instruções de tiro, peconha (técnica para subir em árvores), obtenção de alimentos, transposição de obstáculos na água, pernoite isolado, e várias outras.

De acordo com o comandante do Esquadrão Hapia (unidade responsável pela organização do CABAS), Tenente-Coronel Aviador Andrei Garcia Nunes, o curso qualifica os tripulantes para as situações mais delicadas de sobrevivência no ambiente inóspito.

“O curso é a oportunidade de conhecer a fauna, flora, relevo, climatologia e especificidades da região para que em caso de um sinistro os tripulantes possam sobreviver”, destacou.



Outras coberturas especiais


Vant

Vant

Última atualização 18 NOV, 09:30

MAIS LIDAS

TOA