COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

08 de Dezembro, 2015 - 10:30 ( Brasília )

TOA - Operação São Joaquim


De 30 de novembro a 5 de dezembro, o Comando Militar da Amazônia deflagrou a Operação São Joaquim, que teve como finalidade fortalecer a presença do Estado na região da fronteira da Amazônia Ocidental, mais conhecida como “Cabeça do Cachorro”, visando combater os crimes transfronteiriços, como narcotráfico, contrabando de armas e munições, descaminhos, crimes ambientais, garimpos ilegais, a presença ilegal de estrangeiros. Coube à 2ª Brigada de Infantaria de Selva a responsabilidade pela execução, com emprego de 1700 militares.

No dia 28 de novembro, o Comandante da 2ª Brigada de Infantaria de Selva, General Antonio Manoel de Barros, realizou a abertura dos trabalhos e a execução do briefing para a Operação com o Estado-Maior, os  Comandantes de Unidades subordinadas, além de um oficial de ligação do Exército Colombiano.

A Operação é uma ação combinada do Exército Brasileiro com o Exército Colombiano, que atua em sua respectiva área de responsabilidade, compreendendo 900 km de faixa de fronteira na Região da bacia do Alto Rio Negro.

Foram posicionados mais de 30 pontos de bloqueios fluviais, além dos já existentes, e ocorreram ainda ações cívico-sociais, em prol da população, que se encontra isolada na faixa de fronteira, com atendimentos médico-odontológicos, apresentação de uma Banda de Música Indígena e corte de cabelo.

No dia 30 de novembro, ao ter início a Operação, foi realizada uma coletiva de imprensa com jornalistas credenciados para a cobertura das ações. O Comandante Militar da Amazônia, General Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, e o Comandante da 2ª Brigada de Infantaria de Selva, Gen Barros, explanaram o contexto e objetivo da Operação.
 

Banco de Dados Geográficos do Exército (BDGEX) disponibiliza novas funcionalidades para usuários

A ferramenta de disseminação dos dados geoespaciais matriciais e vetoriais produzidos pela Diretoria de Serviço Geográfico (DSG) é o Banco de Dados Geográficos do Exército (BDGEx), que atualmente possui mais de 12.000 produtos para visualização, análise ou download, com seus metadados. Dentre esses produtos, destacam-se os produzidos pelo Projeto “Radiografia da Amazônia”. São as cartas topográficas, ortoimagens coloridas, modelos digitais de superfície e do terreno, modelos de estratificação vegetal e dados geoespaciais vetoriais, produzidos a partir de imagens de Radares de Abertura Sintética (SAR).


O BDGEx (http://www.geoportal.eb.mil.br/mediador) é o nó do Exército na Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE), e possui entre suas principais características: o suporte a diferentes formatos de dados, consulta a metadados, navegação visual, downloads, e compatibilidade com os padrões de serviços web do Open Geospatial Consortium (OGC).

Recentemente, com o objetivo de melhorar os serviços disponibilizados aos usuários, foram implementadas as seguintes novas funcionalidades e melhorias no BDGEx:

  • Filtragem na busca por metadados utilizando polígonos desenhados;
  • Na consulta por navegação, foi incluído atalho para os metadados dos produtos e também um mini-mapa;
  • Na consulta por metadados, foi incluído mapa de referência com a posição do produto no Brasil;
  • Formulários de metadados reformulados; e
  • Melhorias de performance na visualização de algumas camadas (LandSat7, Carta Topográfica Matricial 1:250.000, Mapa mundi, Estados e Municípios).

Para um futuro próximo, existe a perspectiva de disponibilização de imagens RapidEye® de todo o Território Nacional, a fim de compor mais uma camada no BDGEx. Além disso, estão em trabalho as seguintes novas funcionalidades, que serão disponibilizadas para os usuários:

  • Filtragem na busca por metadados por meio do carregamento de arquivo vetorial (kmz, shp, etc.);
  • Criação de um sistema que permitirá ao usuário salvar o estado da consulta por navegação em uma URL e recuperar este estado ao acessar a mesma URL;
  • Permissão para inserção do formato “Graus-minutos-segundos” na consulta por navegação;
  • Palavras-chave para os metadados das Cartas Topográficas Vetoriais à partir de informações geográficas contidas no próprio produto;
  • Melhoria no sistema de busca da consulta por metadados.

A implementação de novas funcionalidades no BDGEx é uma diretriz da DSG, visando atender melhor o aumento expressivo no número de usuários e downloads. Em 2014 foram realizados 65.000 downloads e o BDGEx tem atualmente 8.800 usuários cadastrados.

 



Outras coberturas especiais


Guerra Hibrida Brasil

Guerra Hibrida Brasil

Última atualização 11 DEZ, 19:00

MAIS LIDAS

TOA