COBERTURA ESPECIAL - TOA - Aviação

13 de Maio, 2015 - 09:55 ( Brasília )

Unidade da FAB completa 46 anos na Amazônia

Unidade atua na região amazônica desde 1969

Sediado na Base Aérea de Belém, o Primeiro Esquadrão de Transporte Aéreo (1º ETA), Esquadrão Tracajá, completou 46 anos nesta terça-feira (12/05). A data foi comemorada com uma cerimônia, na qual militares do efetivo foram agraciados com as menções de Praça e Graduado Padrão, Destaque de Segurança de Voo e Destaque Operacional do Comando-Geral de Operações Aéreas.

Criado em 12 de maio de 1969, o 1° ETA foi inicialmente equipado com os hidroaviões C-10 Catalina. Com pousos em rios da região, o esquadrão proporcionava integração nacional em localidades onde às vezes sequer havia pistas de pouso. Na época, aviões C-47 da unidade também desbravaram linhas do Correio Aéreo Nacional na Amazônia.

“Os Catalineiros, como são conhecidos, a bordo das históricas aeronaves C-10 Catalina e C-47 Douglas ou nos bastidores dos hangares e das oficinas, esculpiram no tempo um legado de abnegação, de determinação e de superação, o marco regulador que permeia a nobre tarefa de voar e fazer voar”, ressaltou o Tenente-Coronel Aviador Toni Roberto Carvalho Teixeira, Comandante do 1º ETA.

Entre 1995 e 1996, o Tracajá participou da Missão de Observadores Militares Equador-Peru (MOMEP). Um avião C-98 Caravan transportava militares do Brasil, Chile, Estados Unidos e Argentina envolvidos nas atividades de desmilitarização após o conflito ocorrido na região.

Hoje equipado com aeronaves C-95 Bandeirante, C-97 Brasília e C-98 Caravan, o 1° ETA realiza missões em apoio às comunidades ribeirinhas e às unidades das Forças Armadas na região amazônica.

Hospital da FAB discute novidades na área de saúde em Manaus

Com o objetivo de discutir as novidades em diferentes áreas, a XI Jornada de Saúde do Hospital de Aeronáutica de Manaus (HAMN) reuniu, no último sábado (10/05), 900 participantes, entre civis e militares, na capital amazonense. O público teve a oportunidade de debater o tema “Inovações Terapêuticas e Tecnológicas na Assistência à Saúde.”

A jornada envolveu palestras de profissionais de enfermagem, farmácia, nutrição, entre outros. De acordo com uma das conferencistas, a fisioterapeuta Débora Fortes, o evento é importante para a atualização dos participantes. “É uma maneira de mostrar novos conhecimentos para o público, que é formado principalmente por estudantes, além de contribuir para que entrem no mercado de trabalho já com conhecimento”, disse.

A aluna de odontologia Verônica Merlos de Souza viu na Jornada de Saúde um incentivo aos estudantes. “As palestras estimulam a gente a aprofundar-se nos assuntos abordados”, ressaltou.

A iniciativa, uma parceria do hospital com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), também teve a meta de apresentar os trabalhos realizados pelo HAMN em Manaus. Com cerca de 350 profissionais no efetivo, a unidade, além de atender os militares da FAB na região, presta assistência médica aos moradores de cidades no interior do Estado.

Nas chamadas Ações Cívico-Sociais (ACISO), os médicos, enfermeiros e dentistas do HAMN levam saúde aos moradores que vivem em comunidades distantes.