COBERTURA ESPECIAL - TOA - Terrestre

25 de Outubro, 2014 - 10:00 ( Brasília )

Exército inicia registro cartográfico do Amapá com uso de aviões e radares

Aviões usam radares eletromagnéticos para delimitar aspectos físicos. Levantamento pode precisar áreas necessárias para execução de obras.

John Pacheco
 

Em três anos um mapeamento aéreo com uso de radares eletromagnéticos pretende realizar o levantamento cartográfico do Amapá. O objetivo é definir de forma mais precisa aspectos da vegetação, relevo, hidrografia e sistema viário do estado.

O levantamento, está sendo feito pela 4ª Divisão do Exército Brasileiro, e será usado na consolidação de políticas públicas para a execução de obras.

Dois aviões sobrevoam diariamente os céus do estado e através das ondas geram as imagens em relevo.

As viagens duram de três a quatro horas por dia e são tripuladas por piloto, copiloto e operador de radar. Além do aspecto físico, também serão determinadas áreas de divisa, cobertura de cidades, residências e distritos.

Ao fim do levantamento, os dados do Amapá serão integrados ao Sistema Cartográfico Nacional. "A cada decolagem montamos uma base de GPS que serve de referenciamento desse ponto inicial, e durante todo o tempo de voo tem um GPS ligado para dar gerenciamento aos locais", detalhou Bruno Bastos, coordenador de aerolevantamento.

A responsável pelo setor de geoprocessamento da secretária do Estado do Meio Ambiente (Sema), Claudia Funi, explica que a base cartográfica especifica locais vulneráveis às ações do tempo, e com isso impede que obras sejam realizadas nesses pontos. "Vamos ter mais assertividade em planejar e executar atividades como construir uma estrada e conseguir planejar com mais exatidão o local para evitar regiões alagadas e com risco de deslizamentos", exemplificou Claudia.