COBERTURA ESPECIAL - Especial Terror - Aviação

26 de Junho, 2014 - 10:25 ( Brasília )

Paquistão - Aeronave civil atingida por tiros durante o pouso 1 morto 2 feridos

Homens matam uma pessoa a tiros e deixam duas feridas em avião no Paquistão




PESHAWAR, Paquistão - Uma passageira morreu, e dois membros da tripulação ficaram feridos, quando homens armados não identificados abriram fogo em um aeronave Airbus A310 da Pakistan International Airlines (PIA), em Peshawar, no noroeste do Paquistão. O voo PK756 procedia da capital saudita, Riad, com mais de 178 pessoas a bordo, informaram a polícia e a empresa PIA.

O incidente ocorreu na noite desta terça (24JUN14) , quando a aeronave da Pakistan International Airlines (PIA) se aproximava do aeroporto. O avião conseguiu aterrissar sem problemas, de acordo com o o porta-voz da companhia aérea, Mashud Tajwar.

"Os disparos foram feitos desde o solo nas proximidades do aeroporto. Uma passageira e dois comissários ficaram feridos. A passageira morreu depois no hospital", completou Tajwar.

O autor ou autores dos disparos atingiram o avião quando o aparelho estava a 1.500 metros de altitude, segundo o oficial da polícia Najeeb Ur Rehman, convencido de que quase ocorreu uma catástrofe. Outros passageiros ficaram feridos durante o pouso em emergência realizado e a tentativa de sair rápido da aeronave.

Um funcionário estava em condição crítica, segundo a polícia.

O atentado não foi reivindicado, mas na semana passada os talibãs advertiram as empresas internacionais e companhias aéreas para consequências caso não suspendessem as atividades no país.

Oito tiros de Kalashnikov foram disparados contra o avião no momento em que a aeronava estava a cinco quilômetros do aeroporto, segundo o primeiro relatório balístico.

A polícia de Peshawar iniciou uma operação de busca nos arredores do aeroporto, cercado por bairro populares labirínticos.

Os voos no Aeroporto Internacional Bacha Khan, em Peshawar, foram suspensos temporariamente e retomados algumas horas depois. O aeroporto também é usado por aeronaves militares.

O ataque ocorreu depois de o Exército paquistanês ter lançado, em 16 de junho, uma ofensiva militar de ampla envergadura no mais perigoso departamento tribal do Waziristão Norte, ao longo da fronteira com o Afeganistão. Essa área abriga talibãs e militantes ligados à rede Al-Qaeda.

Nesta terça, o grupo Ansar-ul-Mujahedin, uma facção do talibã paquistanês, ameaçou cometer mais ataques depois de ter assumido a autoria de um ataque suicida com carro-bomba no Waziristão Norte. Dois soldados e um civil morreram no episódio.

"É o começo da nossa ofensiva, e vamos lançar ataques contra os governos e os companheiros tribais locais, se formarem uma força anti-talibã", prometeu o porta-voz do grupo, Abu Baseer, que falou por telefone com a AFP de uma localidade não revelada.

Na terça-feira foi registrado ainda o primeiro atentado suicida rebelde no Waziristão do Norte desde o início da operação destinada a erradicar os refúgios dos combatentes islamitas talibãs e da Al-Qaeda.

O atentado deixou três mortos - dois soldados e um civil - e foi reivindicado pela Ansur-ul-Mijahedin, uma facção talibã

Atentados contra aeronaves durante o procedimento de aterrisagem ou decolagem sempre foi um item analisado pelos especialistas em contraterrorismo.