COBERTURA ESPECIAL - Especial Terror - Segurança

22 de Maio, 2013 - 16:20 ( Brasília )

UK - Jihad at Home - Soldado degolado em Londres

• ‘A única razão de fazermos isso é porque os muçulmanos morrem todos os dias’, teria dito um suposto assassino • Premier britânico convoca reunião do comitê de segurança após ataque com facão matar um soldado




LONDRES - Um soldado britânico foi morto nesta quarta-feira após ser atacado por dois homens nas proximidades de um quartel em Woolwich, no Sudeste de Londres. O governo está tratando o crime como suspeita de terrorismo e o primeiro-ministro David Cameron pediu que um comitê de emergência seja reunido e interrompeu sua viagem a Paris para voltar ao Reino Unido.

De acordo com fontes da Sky News, os dois suspeitos de terem matado o militar pediram para que pessoas que passavam pelo local os filmassem. Segundo imagens de um vídeo divulgado pela emissora “ITV News”, após o assassinato um dos deles teria dito que o crime tinha razões religiosas.

“Juramos por Alá todo-poderoso que não pararemos de combatê-los. A única razão de fazermos isso é porque os muçulmanos morrem todos os dias. Com o soldado britânico foi olho por olho, dente por dente”, afirmou o suspeito para a câmera.

Em Paris, Cameron deu uma coletiva de imprensa ao lado do presidente francês, François Hollande, e afirmou que há fortes indicações que o ataque em Londres é um incidente terrorista.

- Já sofremos ataques assim antes e sempre vencemos graças ao indômito espírito britânico - disse.

Testemunhas acrescentaram que eles gritavam “Alá Akbar” (do árabe, Deus é maior) durante a investida. O soldado teria sido decapitado. A polícia demorou cerca de 20 minutos para chegar à cena do crime.

O parlamentar local Nick Raynsford afirmou que a vítima era um soldado do quartel de Woolwich, mas a informação não foi confirmada. Segundo testemunhas, o homem morto usava uma camiseta da associação de voluntários “Help for Heroes” (Ajuda para os heróis, em inglês), que ajuda os militares feridos em batalhas

Uma testemunha, identificada apenas como James, disse que o soldado atacado teria cerca de 20 anos e estava vestindo uma camisa militar.

- Esses dois caras estavam loucos. Eram como animais. Eles o arrastaram pelo chão e jogaram seu corpo no meio da rua - contou à rádio LBC.

A polícia está pedindo que moradores da área permaneçam calmos e evitem especulações desnecessárias. O ataque ocorreu próximo a um quartel militar de caridade a heróis.

“Algumas armas foram utilizadas no ataque, e isso inclui relatos de uma arma de fogo”, afirmou a polícia em comunicado.

Reunião de emergência

Após o ataque, Cameron convocou uma reunião do comitê de segurança de emergência de seu governo, o Cobra. O órgão é acionado apenas em incidentes que têm implicações para a segurança nacional.

- O primeiro-ministro diz que o assassinato em Woolwich é verdadeiramente chocante e ele pediu ao ministro do Interior para presidir uma reunião do Cobra - afirmou o gabinete.
O professor de uma escola primária próxima, David Dixon, relatou ter sido informado pela polícia de que se tratava de um grave incidente. Em entrevista à emissora BBC, ele contou ter visto um corpo caído na rua e ouvido barulho de tiros.

A segurança foi reforçada na área imediatamente após o crime. Helicópteros sobrevoavam o local e ruas próximas foram isoladas pela polícia. Fotos divulgadas em sites na internet mostravam ao menos duas pessoas no chão que pareciam estar feridas, mas não havia mais detalhes de imediato.