07 de Setembro, 2012 - 07:30 ( Brasília )

Terrestre

Ex-chefe de Operações Conjuntas do MD assume o Comando de Operações Terrestres do Exército


Com vasto currículo que inclui a força de paz no Haiti, o Comando Militar do Sudeste (CMS) e a chefia de Operações Conjuntas (Choc), do Ministério da Defesa, o general João Carlos Vilela Morgero assumiu um novo desafio na carreira militar. Oriundo da Infantaria, o general Vilela tomou posse, nesta quinta-feira (6/9), no Comando de Operações Terrestres (Coter), em cerimônia realizada no Batalhão da Guarda Presidencial (BGP), em Brasília.

Por ser um dos comandos mais importantes do Exército Brasileiro, o Coter atraiu autoridades militares e civis. Os ministros da Defesa, Celso Amorim, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general José Elito, além dos comandantes do Exército, general Enzo Martins Peri, e da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito, ocuparam o palanque principal da cerimônia. O Comando da Marinha foi representado pelo almirante Gilberto Max Roffé Hirschfeld.

Vilela substitui o general Américo Salvador de Oliveira, que entrou para o quadro de reserva da Força. Em discurso, o general Salvador fez um relato sobre sua trajetória profissional, até chegar ao posto de comando do Coter.

O comandante do Exército, por sua vez, destacou o trabalho desenvolvido pelo general Salvador. Em seguida, procedeu-se à leitura do currículo do novo comandante do Coter. Nascido em Santos (SP), o general Vilela realizou os cursos da Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), de paraquedista militar, de mestre de salto e motociclista militar. Ele cursou ainda a Escola de Aperfeiçoamento e de Estado-Maior.

Entre as funções de destaque que exerceu consta a de chefe da Seção de Operações da 2ª Brigada de Infantaria Motorizada; 3ª e 6ª Subchefia do Estado Maior do Exército; oficial de gabinete do ministro do Exército e do comandante da Força.

Em São Paulo, o general foi chefe do Estado-Maior do Comando Militar do Sudeste e comandante da 2ª Divisão de Exército. No exterior, foi adjunto da Comissão do Exército em Washington e comandante da Brigada Brasileira de Força de Paz no Haiti. Dentre uma longa coleção de condecorações, destacam-se a Ordem do Mérito Militar; a Ordem do Mérito Aeronáutico e a Ordem do Mérito Militar do Ministério Público Militar.

O general Vilela foi promovido ao posto máximo – general-de-Exército – em 31 de março de 2010 e assumiu o Comando Militar do Sudeste em 15 de abril daquele mesmo ano. De lá, exerceu funções no MD.

Operações terrestres

O Comando de Operações Terrestres foi criado pelo decreto nº 99.699, de 06 de novembro de 1990. As instalações foram inauguradas em 7 de janeiro de 1991, no Quartel-General do Exército, sediado em Brasília. O Coter teve como seu primeiro comandante o general Antônio Luiz Rocha Veneu.

Inicialmente, o Coter absorveu atribuições inerentes ao Preparo e ao Emprego da Força Terrestre. Hoje, no entanto, ajustou seu foco de atuação de modo a se adequar às novas necessidades da defesa do país.

Compete ao Coter, no campo do preparo, a participação na evolução doutrinária e na avaliação das organizações militares operacionais; o gerenciamento do Sistema de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Exército; a responsabilidade de gerenciar o Centro de Preparação e Avaliação para Missões de Paz do Exército e o desenvolvimento e a aplicação dos exercícios de simulação de combate.

Já no campo do emprego, o órgão atua na avaliação dos planos operacionais elaborados pelos comandos militares de área, visando propiciar um sistema de planejamento de emprego de nas diversas missões de garantia da lei e da ordem, de apoio ao desenvolvimento nacional e de apoio à defesa civil.

O Coter tem ainda a missão de preparação e de emprego de tropas brasileiras no exterior, de operação e de funcionamento do centro de Comando e Controle da Força Terrestre e de inspeção das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares Estaduais, no que diz respeito à organização, articulação, aos efetivos, ao armamento, à munição e ao planejamento de emprego das Forças Auxiliares.