24 de Abril, 2012 - 11:22 ( Brasília )

Terrestre

Rússia: criado novo centro de preparação de tanquistas nos Urais


O vice-presidente do governo da Rússia Dmitri Rogozin, que tutela a indústria militar, informou que no polígono do Instituto de Testes de Metais na cidade de Nijni Taguil será criado o principal centro de testes de blindados e de projéteis.

Neste centro irão ser formados instrutores de tiro das Forças Armadas de países-parceiros da Rússia.

Centros especiais de teste de blindagem existem já há várias décadas. O vice-diretor da Academia de Problemas Geopolíticos, Konstantin Sivkov, fala-nos sobre o novo centro.

"É muito positiva a ideia de criar o centro precisamente neste instituto, pois a resistência dos veículos blindados depende sobretudo da qualidade do metal. E é correta a decisão de testar simultaneamente a resistência da blindagem e as novas propostas tecnológicas relativas ao aperfeiçoamento da blindagem".

Neste instituto existem todas as condições necessárias para a aplicação na prática de diversos tipos de peças de artilharia e de outras espécies de armas. Toda a infraestrutura necessária e o respetivo perímetro de segurança funcionam normalmente. O potencial da Rússia no tocante à exportação de tanques é bastante grande e a criação do centro de preparação de tanquistas permitirá aos exércitos estrangeiros dominar mais rapidamente o uso operacional de blindados russos. Hoje em dia, a Rússia é líder mundial na esfera de exportação de tanques de combate básicos.

O principal modelo é o tanque T-90C. Este blindado goza da grande procura em dezenas de países, - constata o redator – chefe da revista Defesa Nacional, Igor Korotchenko.

"O maior parceiro da Rússia é a Índia, que adquiriu a licença para a produção de 320 tanques deste tipo nas suas empresas. Futuramente, quando no mercado aparecer o modelo modernizado T-90, que foi exibido há bem pouco, teremos a perspetiva de aumento de contratos. Mais tarde, a partir de 2015 – 2017, no mercado será colocado o novo tanque Armata, um blindado de quinta geração. Este modelo, tal como todos os demais modelos de blindados russos, vai corresponder a todos os requisitos necessários para a sua promoção bem-sucedida nos mercados internacionais".

Há pouco, na conferência da Academia Russa de Ciências Balísticas e de Artilharia foram tornados públicos dados interessantes. A última modificação do tanque russo T-90C custa 2,5 milhões de dólares. O blindado americano análogo Abrahams M1A2, que supera um pouco o modelo russo quanto ao potencial de combate, custa 7,5 milhões de dólares. E o tanque Leopardo, modelo A7, custa 7 milhões de dólares.

Portanto, o tanque russo supera sensivelmente os modelos ocidentais quanto ao critério “qualidade-preço”.