18 de Setembro, 2018 - 10:25 ( Brasília )

Terrestre

Testes dos protocolos de urgência do Hospital de Florianópolis visam ao bem-estar e segurança de usuários


A experiência de passar por uma certificação foi sentida pela equipe do Hospital de Guarnição de Florianópolis (HGuFl). A cada simulação, os profissionais de saúde vivenciaram a tensão e a responsabilidade de atuar no salvamento de vidas.

Entre eles, estava a Sargento Carla Jardim, incorporada há menos de 60 dias. Apesar dos treinamentos e de já ter atuado em UTI e emergência pediátrica e adulta, ficou surpresa com a atividade. “É diferente um teste prático assim, porque não há um risco real, mas estamos sendo avaliados e queremos sempre honrar o nome da Guarnição. À medida que fomos conversando durante a simulação, ficamos tranquilos e acredito que a equipe se saiu bem”, concluiu.

Inspeção com características de certificação

Os serviços prestados foram acompanhados pelo comando da 5ª Região Militar (5ª RM), que realizou inspeção no Hospital de Guarnição de Florianópolis na quinta-feira, dia 13 de setembro. A comitiva, chefiada pelo General de Brigada Aléssio Oliveira da Silva, foi recepcionada com uma formatura. O diretor do HGuFl apresentou dados da Unidade, responsável pelo atendimento de 16 mil usuários, incluindo militares da Marinha e da Aeronáutica.

A equipe da 5ª RM conferiu as rotinas, procedimentos administrativos e gestão da organização militar. Planejada com características de serviço de certificação, foram conduzidos exercícios práticos, como atendimento a paciente com parada cardíaca, hipoglicemia, convulsão, dor torácica e embolia pulmonar. A meta é capacitar, de forma permanente, as equipes de saúde que atendem à família militar.

Com quase 150 anos, a estrutura conta com um Pronto Atendimento 24 horas, Odontoclínica, Laboratório de Análises Clínicas, Centro Cirúrgico, Exame de Imagens e quatro ambulâncias, sendo três UTIs. O efetivo de saúde é de 57 profissionais.

O General Aléssio elogiou o trabalho desenvolvido pela equipe do hospital e destacou a importância de monitorar a qualidade dos serviços nas organizações militares de saúde. “Cada profissional precisa saber, exatamente, o que fazer em situações de emergência, adotando os procedimentos previstos”, enfatizou. O Inspetor de Saúde Regional, Coronel Jaime Rzetelny, completou: “precisamos tratar como gostaríamos de ser tratados, nossos pais, nossos filhos, nossa família”.

Bem-estar da família militar

Dona Araci da Costa Gomes, de 71 anos, está fazendo tratamento de câncer. Sentindo-se fraca, agendou uma consulta com um clínico geral. Ao chegar, só havia uma pediatra disponível. Ela procurou a Ouvidoria do HGuFl, que, em menos de dez minutos, providenciou o atendimento. “Graças a Deus, a situação foi resolvida. Moro longe e é muito difícil ter que remarcar uma consulta”, relatou aliviada.

A prioridade das inspeções realizadas pelo comando da 5ª Região Militar é gerar bem-estar e segurança aos militares da ativa e da reserva, bem como seus dependentes. Para cumprir essa missão, viabiliza apoio logístico, administrativo e territorial às Unidades operacionais do Exército no Paraná e em Santa Catarina.

Fotos:
Sgt Gustavo / 5ª RM



ÚLTIMAS

Terrestre

MAIS LIDAS