06 de Abril, 2018 - 09:50 ( Brasília )

Terrestre

Situação tática e ambiente operacional hipotético adestram todos os subsistemas da artilharia antiaérea


A 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea conduziu, no dia 3 de abril, a 2ª Edição da Operação Alerta Antiaéreo, que envolveu todos os Grupos de Artilharia Antiaérea (GAAAe) do Exército Brasileiro e a Bateria de Comando da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (Bia C/1ª Bda AAAe).

O objetivo dessa operação, realizada mensalmente, é adestrar os subsistemas da artilharia antiaérea, sobretudo o de controle e alerta, por meio do uso de software que simula incursões aéreas em pontos sensíveis localizados em diversas regiões do País, tudo inserido em uma situação tática e em um ambiente operacional hipotético.

A concepção geral da atividade consiste no desdobramento de um Centro de Operações Militares e de um Centro de Operações Antiaéreas Principal, localizado no Comando da 1ª Bda AAAe, permitindo a esse Grande Comando de Artilharia atuar como Direção do Exercício e exercer o controle simultâneo das defesas antiaéreas desdobradas nos diversos pontos sensíveis.

 
 

Os GAAAe, cada qual em sua sede, desdobraram seus módulos operacionais, compostos por uma Seção de Artilharia Antiaérea (Sec AAAe) de Canhão 40 mm; uma Sec AAAe de Míssil Igla S; e uma Sec AAAe de Míssil RBS-70; além de um Centro de Operações Antiaéreas Secundário.

Dessa forma, a Operação Alerta Antiaéreo possibilitou testar, com muito baixo custo, a capacidade de prover a defesa antiaérea, em tempo real, de diversas estruturas estratégicas espalhadas pelo Território Nacional, contribuindo com o adestramento da Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro.

 
 

Fotos: 1ª Bda AAAe / EB


ÚLTIMAS

Terrestre

MAIS LIDAS