04 de Julho, 2017 - 10:10 ( Brasília )

Terrestre

O meu grito de guerra é: “Montanha!”


Nos dias 27 e 28 de junho, integrantes da 1ª Companhia de Fuzileiros do 12º Batalhão de Infantaria (12º BI), subunidade responsável pelas instruções dos militares do efetivo variável e pela condução do Curso de Formação de Cabos (CFC), realizaram uma marcha orientada por pelotões no itinerário Lapinha – Tabuleiro, no Parque Municipal do Tabuleiro, em Conceição do Mato Dentro (MG). Os militares conduziram o armamento coletivo com as suas respectivas dotações de munição.

Destaca-se que o CFC foi a tropa responsável por realizar o reconhecimento da marcha, além de mobiliar os pontos de controle ao longo do itinerário.

Militares recém-egressos do Curso Básico de Montanhismo integraram os pelotões, com o objetivo de difundir as capacidades e conhecimentos adquiridos no curso. Para tanto, instruções de avaliação de distâncias, designação de alvos, emprego das armas de apoio, defesa de ponto forte, montagem de emboscadas, utilização do GPS e meios expeditos de orientação noturna foram ministradas ao longo do percurso.

Uma tropa de Infantaria Leve, especializada em ambiente operacional de montanha, que é caracterizado por elevadas variações de altitude e temperatura, possui algumas peculiaridades em seu período de Instrução Individual de Qualificação, sobretudo na capacitação de seus quadros para atuarem nesse ambiente peculiar.

Com o intuito de buscar essa capacitação específica, primeiramente os militares realizaram o Estágio Básico do Combatente de Montanha e, posteriormente, a marcha prevista no Programa Padrão de Qualificação foi realizada em terreno montanhoso.

Cooperando com os órgãos que cuidam da preservação ambiental, o 12º BI realizou, ao longo do trajeto, a coleta de resíduos diversos, encontrados no itinerário percorrido, cumprindo, também, seu papel cidadão.



Fotos: 12º BI / EB


VEJA MAIS