04 de Novembro, 2016 - 17:50 ( Brasília )

Terrestre

Mensagem para o Dia do Oficial R/2



CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA
(antigo Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil)



MENSAGEM DO PRESIDENTE DO CNOR PARA
O DIA DO OFICIAL R/2

O Exército Brasileiro comemora, nesta data, o Dia do Oficial R/2, instituído pelo Comandante do Exército através da Portaria nº 429, de 18 de julho de 2006, em atendimento a uma proposta do Conselho Nacional de Oficiais da Reserva.
Em 04 de novembro de 1891 nascia Luiz de Araújo Correia Lima, idealizador dos Órgãos de Formação de Oficiais da Reserva do Exército. Gaúcho de Porto Alegre, filho do General de Divisão Gonçalo Correia Lima e D. Ana Correia Lima, aluno aplicado, Correia Lima fez o ensino fundamental no Colégio Militar de Porto Alegre. Sentou praça no Exército, como soldado, em 26 de setembro de 1907, no extinto 17º Batalhão de Infantaria. Aprovado em concurso para a Escola Militar do Realengo, foi cadete do Curso de Artilharia, destacando-se por sua dedicação aos estudos.

Em 1916, casou-se com a senhora Marina de Sousa Melo, com quem teve cinco filhos.

Na Primeira Guerra Mundial, incorporado ao 17º Grupo de Artilharia, participou da vigilância da costa brasileira. Lutou contra os revoltosos de 1924, integrando o 1º Grupo de Artilharia Pesada.

A Primeira Guerra Mundial deixou muitos ensinamentos. Uma das doutrinas desenvolvidas pelos analistas militares foi a necessidade de que às reservas mobilizáveis fossem incorporados elementos com formação militar e capacidade de liderança que os habilitassem a comandar subunidades e pequenas frações de tropa. Surgiram, então, as organizações militares destinadas à formação de tenentes da reserva, cidadãos-soldados, cujo pionerismo é registrado na criação nos Estados Unidos, em 1919, do Reserve Officers Training Corps.

No Brasil, no início da década de 20 do século passado, com o advento da missão militar francesa, foram formados alguns oficiais da reserva da arma de artilharia com alunos da Escola Politécnica. Mas somente graças aos esforços do Capitão Correia Lima, que visitava as universidades em busca de voluntários, foi instituído, em 22 de abril de 1927, o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro, sediado inicialmente no 1º Regimento de Artilharia Pesada Curta, em São Cristóvão, organização  militar pioneira do nosso Sistema de Formação de Oficiais da Reserva, e do qual foi ele o primeiro comandante.

O Curso, inicialmente, tinha a duração de três anos, o que perdurou até 1942, quando foi adaptado para dois anos. A partir de 1966, o modelo evoluiu para cerca de um ano de formação.

Correia Lima não viveu para testemunhar a importância de sua obra. Servia em Curitiba, como Major promovido por merecimento, comandando o 1° Grupo do 9° Regimento de Artilharia Montada, quando irrompeu a Revolução de 1930. Foi atacado de surpresa em seu quartel, e assassinado, pelas costas, no dia 5 de setembro de 1930. No mesmo ano, foi promovido, post-mortem, por bravura, a Tenente-Coronel.

A Segunda Guerra Mundial veio demonstrar o acerto dos ideais de Correia Lima. Dos 1070 oficiais subalternos da FEB, 433 eram R/2. Quase a metade. Dos doze oficiais combatentes tombados no cumprimento do dever, meia dúzia eram da reserva. Exatamente a metade. Deram ao Brasil o seu bem mais precioso. Alguns desses heróis, que há mais de setenta anos venceram um inimigo traiçoeiro, encontram-se ainda entre nós, exibindo em seus cabelos brancos o orgulho da missão cumprida. Quando jovens, venceram um inimigo traiçoeiro. O sacrifício desses heróis enobrece e dignifica a Nação e o Exército. Merecem a nossa eterna gratidão.

O 1º Tenente R/2 convocado Apollo Miguel Rezk foi o único integrante da FEB agraciado pelo governo dos Estados Unidos com a Distinguished-Service Cross, mais importante condecoração de bravura americana, “por extraordinário heroísmo em ação, comando inspirado e persistente coragem”. Recebeu, também, a Silver-Star e quatro condecorações de guerra brasileiras.
Nos dias atuais, vemos nos CPOR e NPOR o trabalho árduo e a dedicação de instrutores e monitores na formação e preparação dos jovens alunos, futuros Aspirantes a Oficial R/2, com a nobre missão de completar os claros existentes nos corpos de tropa e, ao mesmo tempo, formar cidadãos e líderes para a reserva mobilizável. Serão a voz civil do Exército na sociedade do amanhã.

O Conselho Nacional de Oficiais da Reserva, criado em 22 de abril de 1997, congrega 19 Associações Regionais, dispersas por todo o país. O Sistema CNOR, em franca expansão, logo estará incorporando novas entidades, já em processo de formação. Os Oficiais R/2, na paz e na guerra, cumprem com eficácia suas missões de cidadãos-soldados. Em nosso perfil se mesclam os valores do soldado e os ideais do cidadão. Ao final desta comemoração, quando retornarmos ao segmento civil da sociedade, a Reserva certamente estará mais Atenta e Forte, para melhor contribuir no esforço de manter o Brasil no seu destino de pátria livre, desenvolvida e soberana.

 

Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2016

Sérgio Pinto Monteiro - 2º Ten R/2 Art
Presidente do CNOR


“Patriotismo, União, Lealdade, Trabalho - Assim Atua a Reserva Atenta e Forte”


CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA
(antigo Conselho Nacional de Oficiais R/2 do Brasil)
Fundado em 22 de Abril de 1997
Sede Nacional: Rio de Janeiro (Quartel do CPOR/RJ)
Rio de Janeiro - Belo Horizonte - Recife - Petrópolis - Pelotas - Cuiabá - P. Grossa – Brasília - J. Pessoa -Maceió - Belém - Manaus - Curitiba - C. Grande - Vila Velha - Fortaleza - Joinville - Goiânia
Av. Brasil, 5292 - Rio de Janeiro (RJ) - CEP 21040-361
Tel. (21)2560-6584; (21)98187-1558
www.cnor.org.br * cnor@cnor.org.br